Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Segundo dados do Caged, foram criados 280.66 novos empregos no Brasil

Nesta quinta-feira (1º) o Ministério da Economia divulgou os dados de maio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Segundo os dados, foram criadas 280.666 novos empregos formais no país. Neste período foram 1.548.715 novas admissões e 1.268.049 desligamentos.

De acordo com os dados, o estoque, que é a quantidade total de contratos de trabalho ativos, contabilizou 40.596.340 vínculos, em fevereiro de 2021. Além disso, em maio do ano passado, o país fechou 373.888 empregos com carteira assinada em meio ao choque de fechamento da economia após a chegada da pandemia de Covid-19.

De acordo com o Caged, o ano de 2021 registra saldo de 1.233.372 empregos, decorrente de 7.971.258 admissões e 6.737.886 desligamentos. Deste modo, são 38,2% a mais de admissões e 2,5% a menos de desligamentos, em comparação ao mesmo período do ano passado, de janeiro a maio.

Ademais, os estados com o melhor saldo foram São Paulo, com 104.707 novos empregos, Minas Gerais, com 32.009, e Rio de Janeiro, com 17.610. Entre as atividades, o setor de Serviços puxou o saldo positivo, com 110.956 novas vagas, seguido do Comércio, com 60.480 vagas a mais em maio. A indústria registrou 44.146 novos postos de trabalho, a atividade agropecuária foram 42.526 e a construção 22.611.

Aumento de empregos celebrado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou os dados positivos durante pronunciamento do Caged de maio. No pronunciamento feito especialmente para comentar o saldo positivo de vagas de empregos, o ministro da Economia deu algumas declarações.

“Excelente notícia! O Brasil continua gerando novos empregos. É importante registrar que em todas as regiões, todas as cidade e estados, estão registando novos empregos; um processo abrangente e que mostra que a economia brasileira está se levantando. Setores fragilizados, como Serviços, estão criando empregos, foram 100 mil. Está confirmada que a recuperação da economia brasileira é bastante abrangente e o ritmo tá bastante rápido”, disse o ministro.

“Eu queria parabenizar nossa equipe de Trabalho e Previdência, e agradecer o trabalho que têm feito. Os resultados estão vindo: 280 mil empregos no mês de maio, totalizando 1 milhão e 200 mil nos cinco primeiros meses, é um ritmo forte de criação de emprego, antes mesmo das medidas adicionais que o secretário deve anunciar brevemente, nas próximas semanas”, completou o ministro.

Por fim, o ministro reforçou que o secretário Bruno Bianco está formulando um programa de treinamento no trabalho. Além disso, o secretário está responsável pela renovação do benefício emergencial e possivelmente tornará a política de flexibilização de salários permanente com os Seguro Empregos.

Desemprego se mantém no recorde

Apesar do aumento de empregos formais no país, na quarta-feira (30) o IBGE divulgou dados do Pnad Contínua apontando que a taxa de desemprego no Brasil se manteve no recorde histórico da série iniciada em 2012. A taxa se manteve em 14,7%, entre fevereiro e abril deste ano, mesmo percentual que foi alcançado no trimestre encerrado em março.

Por final, a população desocupada se manteve em 14,8 milhões de pessoas. No entanto, o número cresceu 3,4% (mais 489 mil pessoas desocupadas) ante o trimestre dos meses de novembro de 2020 a janeiro de 2021. Porém, por hora, o aumento dos empregos continua sendo celebrado pelo Ministério da Economia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.