Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Segunda fase do Open Banking é adiada para agosto

Nesta quarta-feira, dia 14, o Banco Central comunicou que a segunda fase do sistema de Open Banking, que estava previsto para começar na Quinta Feira, dia 15, sofreu um novo adiamento. A nova data definida pelo Banco Central é dia 13 de agosto de 2021.

O Open Banking é um termo referente ao compartilhamento de dados pessoais, informações e serviços financeiros pelos usuários e por plataformas tecnológicas, no caso das plataformas apenas com autorização. Com o Open Banking os clientes e as plataformas têm acesso a diversos benefícios como melhores taxas, prazos e serviços financeiros.

Essa segunda fase, que foi adiada pelo BC, que agora tem previsão de entrar em vigor apenas em agosto, tratava sobre o compartilhamento de dados cadastrais e de transações dos clientes, sempre com o consentimento prévio dos usuários.

O Banco Central está apostando no Open Banking como uma ferramenta para abaixar as taxas de juros dessa forma possibilitando uma oferta de produtos financeiros mais vasta aos seus clientes nos anos subsequentes. O BC pretende incentivar uma maior competição entre o sistema financeiros, tendo incluso as fintechs.

Motivos para o adiamento

Segundo dados do próprio Banco Central, o adiamento foi realizado por conta de inúmeros pedidos feitos pelos bancos. Isso se dá porque as instituições financeiras ainda estão terminando o período de teste para finalmente conseguirem implementar a tecnologia.

“Dado que as instituições participantes estão finalizando os testes para a obtenção de certificações para homologação e registro de suas APIs, o Banco Central decidiu nesta data alterar o cronograma do início do lançamento da Fase 2 do projeto”, informou o Banco Central.

A primeira fase do Open Banking teve início em fevereiro deste ano de 2021. As instituições financeiras disponibilizaram informações simples como canais de atendimento e serviços ofertados.

Além da segunda fase está prevista também uma terceira, com data para 30 de agosto. A partir deste dia, o serviço de compartilhamento de transações de pagamento entre as instituições que fazem parte do Open Banking será iniciado. Além disso, também será disponibilizado o serviço de encaminhamento de créditos entre as instituições financeiras.

Open Banking tira a exclusividade do banco de realizar ofertas financeiras

Antes do Open Banking, se o cliente tivesse vínculo com uma instituição financeira, por exemplo o Santander, todos os dados desse usuário ficariam restritos apenas a essa instituição financeira. Com o sistema aberto, todas as instituições passam a ter acesso a todas as informações de um indivíduo, independentemente da instituição com a qual o indivíduo tem vínculo.

A partir do dia 30 de agosto, quando a terceira fase terá início, os usuários poderão ter acesso aos serviços de pagamento fora do círculo do banco, dessa forma se pode solicitar empréstimos sem se utilizar do aplicativo dos bancos. Além disso, também será possível compartilhar o histórico de dados financeiros.

A última etapa do Open Banking, ou seja, a quarta etapa, está prevista para ser concretizada apenas em dezembro deste ano. Nesta etapa a intenção é expandir a noção de banco aberto, passando a ser Open Finance. Neste conceito os usuários poderão partilhar dados como operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.