Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Réu que matou companheira e ocultou cadáver em bueiro é condenado pelo Tribunal do Júri

Em sessão telepresencial realizada na última quinta-feira (05/11), o Tribunal do Júri de Taguatinga/DF condenou o réu Henrique Farley Carneiro de Almeida à pena de 19 anos e 6 meses de reclusão por feminicídio e ocultação de cadáver de sua ex-companheira.

O crime

Consta nos autos da ação penal 0002240-08.2019.8.07.0007 que o homicídio ocorreu em maio de 2019, na residência do casal, no Setor de Chácaras Santa Luzia, em Taguatinga/DF.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público, o réu atingiu a vítima com um golpe de faca no peito, deixando-a agonizar no chão do interior do barraco onde moravam até sua morte.

No dia seguinte, o acusado colocou o corpo da vítima enrolado em lençóis e, por intermédio de um carrinho de supermercado, levou-o até um bueiro localizado perto da residência onde o crime ocorreu, ocultando o cadáver.

Homicídio e ocultação de cadáver

Inicialmente, o acusado havia sido pronunciado pelo juízo de origem para ser julgado pelo Tribunal do Júri em razão da acusação de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Contudo, em plenário, em que pese os jurados tenham constatado a materialidade e autoria dos crimes, acolheram somente a qualificadora do feminicídio.

Diante disso, o juiz presidente do Júri condenou Henrique por feminicídio e ocultação de cadáver, ao argumento de que a conduta do réu, exercida com plena consciência da ilicitude, revelou enorme desprezo pela vida humana.

O magistrado ressaltou que o acusado, mesmo sabendo que a vítima estava em pânico buscando auxílio de instituições estatais, continuou com os planos de agredi-la e matá-la.

Além disso, de acordo com o juiz, o réu agiu mediante conduta dolosa que se agravou com o tempo, até que o fim buscado (morte) fosse concluído.

O réu respondeu ao processo preso, deverá iniciar o cumprimento da pena em regime fechado e não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Fonte: TJDFT

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.