Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Quem receberá a vacina primeiro?

Pessoas na terceira idade são parte do grupo de risco que deve ser priorizado.
Idosos são um dos grupos prioritários para receber a vacina. Fonte Prefeitura de Jabotão.

Boa parte das pessoas está ansiosa para tomar as vacinas. Isso conforme elas vão se tornando disponíveis. Porém a maioria da população vai ter de esperar sua vez na fila de espera. Pois certos grupos prioritários devem receber a vacinação antes dos outros.

A importância da vacinação para esses grupos já vinha sendo considerada. Algo previsto desde o inicio da pandemia. Afinal, é notório que a fatalidade da covid aumenta nos grupos de risco.

Mas certos profissionais também são considerados como prioritários. Isso por conta que seu trabalho é tido como essencial em meio da pandemia.

Assim, os planos de vacinação no mundo inteiro têm destacado esses grupos. Inclusive o governo brasileiro que os incluiu como prioridade no plano nacional de vacinação.

Pelo que foi informado esses seriam então os grupos prioritários considerados no país:

  • Ribeirinhos;
  • Quilombolas;
  • Indígenas;
  • Idosos acima de 60 anos;
  • Presos;
  • Pessoas com comorbidades;
  • Profissionais de saúde;
  • Professores;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Profissionais de segurança e salvamento;
  • Profissionais do transporte coletivo
  • Sem teto e moradores de rua;

Por enquanto esses foram os grupos priorizados. Ainda está em discussão se outros grupos como devem entrar na lista. Caso dos trabalhadores de coleta de lixo.

Esse plano também prevê que esses grupos serão vacinado nos quatro primeiros meses. Isso em um cronograma de dezesseis meses. Os outros doze meses serão usados para vacinar o restante da população. 

 Grupos de risco

A princípio o direito à vacina deve privilegiar quem pertence aos chamados grupos de risco. Neles o percentual de mortalidade é sobretudo maior que o normal entre quem contraiu o vírus covid.

Os idosos são os que têm então se sobressaído. O enfraquecimento do sistema imunológico entre pessoas da terceira idade os torna mais vulneráveis a ação do vírus.

Pra piorar há ainda mais a ausência de uma memória de imunização do vírus. Isso o deixa ainda fatal para essa faixa etária.

Então, 73% dos mortos pelo novo vírus no Brasil são de pessoas acima de sessenta anos. A internação em UTIs nessa idade também é mais comum do que entre outros doentes.

Também que merecem atenção as comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas. Esses grupos são historicamente afetados por epidemias onde a mortalidade pode chegar a níveis devastadores.

Com a covid não é diferente. Entre indígenas a mortalidade já é 16% maior em comparação com a média da população. E ainda há o agravante de que muitas dessas comunidades contam com acesso precário ao sistema de saúde.

Presidiários e moradores de rua também merecem atenção especial. Afinal são grupos que sofrem de uma situação de insalubridade. O casos dos presos em especial é agravante. Pois as prisões servem como ambientes favoráveis ao desenvolvimento do vírus. 

Profissionais necessários  

A prioridade da vacina também envolve da mesma forma certas categorias profissionais. Geralmente são trabalhadores de serviços considerados essenciais. Especialmente na emergência da pandemia.

É o caso dos profissionais de saúde. Muitos deles estiveram na linha de frente do combate à doença. Tiveram de lidar com a possibilidade maior de contrair a doença e mesmo ir a óbito. Assim como o estresse de suportar o colapso do sistema de saúde cada vez mais ocupado com o covid.

Profissionais do transporte público e do sistema prisional também foram incluídos. Afinal, eles não apenas mantiveram as atividades na atual situação. Também lidaram com condições que muitas vezes beiram a insalubridade e a insegurança. Sofreram com maior risco de contrair o vírus.

Por fim profissionais da educação também foram lembrados. Essa categoria esteve então paralisada durante boa parte da pandemia. Bem como muitos tiveram de recorrer a compensação do ensino virtual.

Porém se considerou a importância de seus serviços para a formação de crianças e jovens. Pois é inaceitável que uma geração inteira perca em conhecimento por causa da pandemia.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.