Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Prorrogação do BEm paga até R$ 1.813,03 em novembro e dezembro

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) foi criado para auxiliar trabalhadores formais durante a pandemia do novo coronavírus. Com o programa, foi possível fazer acordo com os empregadores enquanto o Brasil está em estado de calamidade pública. Em contrapartida, o empregado recebe pagamento do governo que varia entre R$ 261,25 e R$ 1.813,03 por mês.

O programa foi prorrogado e agora tem validade de 180 dias, contados a partir da data de fechamento do acordo. Com ele, as empresas podem negociar com seus funcionários redução temporária de jornada e salário ou até mesmo a suspensão do contrato de trabalho.

Quem já recebia o benefício antes da nova atualização precisa apenas confirmar a inclusão no novo prazo para novembro e dezembro. Com o programa, o governo tem o intuito de diminuir as demissões durante a pandemia e garantir mais estabilidade no mercado de trabalho.

Para ter acesso ao BEm, o trabalhador deve ter carteira assinada. Empregado intermitente com carteira assinada até a data de 1 de abril de 2020 também tem direito. Ao contrário do auxílio emergencial, os beneficiários não recebem o mesmo valor: ele varia entre R$ 261,25 e R$ 1.813,03. O cálculo de quanto o trabalhador terá direito a receber é feito sobre o saldo do seguro-desemprego.

O benefício será creditado em conta de qualquer banco, desde que não seja na modalidade salário. Ao fazer o acordo com a empresa, o trabalhador informa a conta bancária em que o dinheiro será creditado. Quem não possui conta receberá o dinheiro em conta poupança digital da Caixa, a mesma utilizada para o auxílio emergencial.

O pagamento acontece em até 30 dias após o Ministério da Economia receber o acordo de redução de salário, de jornada ou suspensão do contrato.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

2 Comentários
  1. Rita Santana Diz

    Sr. Políticos cadê a votação do 2,000 para quem ganha até três salários mínimo. Estavam até feliz ,mais quando e as votação que vai beneficiar os pobre vcs vc não está nem aí. Se fosse para vcs viravam a noite para ser aprovado ,mais como e pra gente faz de quanto que nem existe .Eu agradeço o Sr Jeferson Brandão que essa ideia foi dele , agora depende do Sr. paulo pair agilizam isso logo eu por favor eu por exemplo meu filho ganha 1045 para 4 pessoas está difícil e nós não tivemos nenhuma ajuda do governo. Do conta chegando para pagar . Agora Sr Presidente da uma blecada aí né um pacote de arroz custando 25 ou mais a onde que nós vamos Pará.a inflação está aparecendo com a de 90,91,92. Só Jesus na causa.

  2. María Diz

    Não gostei dessa modalidade de pegar meu FGTS e colocar numa conta do governo não posso e os outros podem …deixei lá pra na data certa retirar o dinheiro e veio uma mulher e roubou o dinheiro lá na conta deles …sendo que eu já tinha conta e um tempo atrás já tinha recebido o FGTS de 500 lá nessa conta .Isso é a ruína de todo pobre ser roubado por causa dos outros ..trabalhei duro pra ter e agora vem alguém e rouba quero meu dinheiro lá guardado onde está por favor estou trabalhando e não preciso do meu seguro pro meu futuro ..oh covardia essa .

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.