Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Prazo para fazer contestação do auxílio emergencial cancelado termina HOJE

Nesta sexta-feira (18), chega ao fim o prazo para os beneficiários contestarem o auxílio emergencial de R$ 300, a prorrogação, cancelado. Os pedidos de contestação devem ser feitos apenas pelo site da Dataprev, de forma inteiramente online.

“A Medida Provisória n. 1.000/2020, que prorrogou o benefício, estabelece que a cada mês haja uma reavaliação da situação cadastral dos beneficiários dos valores de R$ 300 ou R$ 600. São verificadas alterações como: novos empregos, recebimento de benefícios assistenciais ou previdenciários; e/ou falecimento”, informou a Dataprev, que é responsável por processar os pedidos do auxílio emergencial.

Ainda há outras situações em que a contestação do auxílio emergencial ainda pode ser feita. Veja abaixo.

  • Quem teve o auxílio emergencial de R$ 600, o valor original, cancelado pelo Ministério da Cidadania após indícios de irregularidades no cadastro ainda pode fazer contestação. Nesse caso, as contestações podem ser feitas entre 11 e 20 de dezembro.
  • Quem foi considerado inelegível para receber a prorrogação, que paga R$ 300 por parcela, também pode fazer contestação pelos próximos dias. Quem não foi aceito para receber a prorrogação por não atender aos novos critérios pode contestar entre 17 e 26 de dezembro.

O pedido de contestação ainda está disponível para trabalhadores em geral, que se cadastraram pelo site e pelo app, e os inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) que não fazem parte do Bolsa Família.

A Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU) são os órgãos de controle que verificam os dados de quem pede para receber o auxílio emergencial. Esses dois órgãos enviam constantemente a lista de pessoas que devem ter o cadastro bloqueado preventivamente. Se o beneficiário não concorda com o bloqueio ou cancelamento, pode fazer uma contestação.

A CGU e o TCU suspendem os cadastros após cruzarem informações dos beneficiários do auxílio com outras bases de dados e encontram informações incompatíveis com as regras de recebimento do programa.

1 comentário
  1. Marcia Diz

    Acho que não ajudaria e muito .pois o pobre ganha um salário mínimo.os nossos governantes ganham um absurdo.eles são nossos empregados, pagamos os salário deles com nossos dinheiro de imposto pra eles nos roubar. São discarados. Um salário minimo não da pra viver. De um salário pra eles .eles não vão querer a briga pra eles se elegerem e grande porque rola muito dinheiro pra eles roubarem. Então sou a favor da prorrogação do auxílio como da primeira vez, pois eles não estão nos dando nada estão devolvendo tudo que eles roubam do povo. O povo brasileiro tinha que ser tratado com todo respeito. Tudo que a classe alta tem foi o pobre que deu. Vai construir uma casa eles chama o pedreiro(o pobre),vai fazer ou comprar uma roupa foi feita pelo pobre, vai almoçar ou jantar fora quem fez a comida e serviu do o pobre. O pobre é trabalhador e honesto. O rico é pilantra e desonesto como nossos governantes

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.