Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Pix Saque: Mais de 20 mil estabelecimentos vão aderir a ferramenta no Bradesco

A nova funcionalidade atrelada ao PIX, chamada de Pix Saque, foi regida pelo Banco Central (BC) há pouco menos de um mês e alguns estabelecimentos já trataram de aderir à novidade. O Bradesco, um dos principais bancos do país, foi um dos mais recentes a anunciar a novidade.

O próprio Bradesco notificou na tarde desta segunda-feira (27) que 22 mil estabelecimentos que operam com o correspondente bancário da empresa vão permitir a retirada de dinheiro a partir de um QR Code atrelado ao PIX.

De acordo com a instituição financeira, vai funcionar da seguinte forma: os estabelecimentos cadastrados que oferecerem o Pix Saque vão imprimir uma nota com o QR Code com o valor solicitado pelo cliente e vai bastar ele apontar o leitor para o código, escaneá-lo e receber o dinheiro físico.

Os benefícios não serão somente para os clientes, já que cada estabelecimento que efetuar uma transação com o Pix Saque vai ganhar uma tarifa sobre a operação. De acordo com regulamento do BC, essa taxa pode variar entre R$ 0,25 e R$ 0,95. Além disso, o empreendedor vai se beneficiar com o “aumento de fluxo” gerado pela prestação do serviço.

Diferença entre Pix Saque e Pix Troco

Junto a funcionalidade do Pix Saque o BC lançou também o Pix Troco. Os dois funcionam de maneira parecida, porém em vez do cliente simplesmente exigir a retirada de dinheiro a partir do QR Code, ele pode pagar um valor extra por um item e sacar esse montante que restou.

Para exemplificar,  se a pessoa fizer um PIX de R$ 50 para comprar um produto de R$ 25, ela recebe R$ 25 em troca. A finalidade da mudança é alcançar mais consumidores pros comércios, já que o cliente pode sacar dinheiro dentro de uma loja, ou ainda obter mais dinheiro no PIX ao comprar um item e receber o troco.

Recordes quebrados

No aniversário de 1 ano de funcionamento (em novembro deste ano), o PIX já tinha sido utilizado como método de pagamento, desde estabelecimentos até transações entre amigos,  mais de 1,6 bilhão de vezes e movimentou mais de R$ 4 trilhões.

A ferramenta que permite transferir dinheiro instantaneamente para qualquer um, sem taxa alguma, durante 24h todos os dias da semana incluindo feriados, foi muito bem aceita pela população brasileira e de acordo com as últimas estatísticas divulgadas pelo BC, de setembro de 2021, as transações feitas por PIX superam as realizadas por boletos, TEDs, DOCs e cheques somados.

Desde o início de seu funcionamento, o PIX vem batendo recordes de transações: na segunda-feira (20), mais de 51 milhões de brasileiros usaram a opção de transferência, segundo dados do BC. O maior número antes registrado era de 50,4 milhões de operações em um único dia.

Para ser mais exato, a quantidade de transações registradas em um dia chegou a 51.946.935. No recorde anterior, alcançado dia 13 de dezembro, esse número foi de 50.045.289. Em porcentagem, houve um aumento de aproximadamente 3,7% nas movimentações por PIX nesse intervalo de tempo.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.