Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

PIX pode ser integrado a pagamentos em lojas virtuais

Terceira fase do Open Banking permitirá que PIX seja integrado a aplicativos e sites de lojas virtuais e de redes sociais. Desse modo, não será necessário que os usuários acessem o aplicativo bancário toda vez que forem fazer uma compra virtual utilizando o sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central.

“Com isso, o usuário não vai mais precisar fotografar o QR Code ou entrar no app do banco para finalizar um pagamento, deixando o Pix mais seguro e ainda mais rápido”, explica o diretor financeiro do Popibank, Marcelo Pereira.

A expectativa é que a nova função seja completamente implementada (disponibilizada para todos os usuários) até fevereiro de 2022. A novidade traz mais agilidade e praticidade na hora de fazer compras online.

“Melhora o ambiente de competição e ao mesmo tempo estimula aquelas instituições mais tradicionais a repensarem seus modelos de negócio, repensarem seus produtos, repensarem seus serviços”, disse João André Pereira, chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC sobre a nova função do PIX.

Novidade é uma alternativa ao cartão de crédito

De acordo com Gustavo Bresler, gerente de estratégia da Quanto, a integração do Open Banking supervisionado pelo BC com o PIX deve representar uma alternativa bastante eficaz ao cartão de crédito.

A nova função deve ser ainda mais aderida pelos brasileiros quando transferências instantâneas puderem ser programadas na modalidade PIX parcelado. Segundo Banco Central, essa nova função tem previsão de ser implementada em 2022.

“Com o PIX, o usuário não precisa mais contratar cartão de crédito para fazer compras e o lojista tem menos chances de ficar com o estoque parado até o boleto pago pelo cliente cair”, disse Bresler.

Segurança da nova funcionalidade do PIX

O Banco Central do Brasil garante que o novo sistema de pagamentos é seguro aos seus usuários, assim como todas as outras funções disponibilizadas pelo PIX. Apesar disso, é importante estar atento aos sites em que estão sendo realizadas compras online.

“É importante o consumidor ter segurança de uso é que está utilizando dentro de um site confiável, dentro de uma instituição homologada pelo Banco Central e toda essa verificação pode ser vista através de um site do Banco Central onde são listadas todas as instruções aprovadas e homologadas e também garantir que o site acessado ou aplicativo é o site realmente que a pessoa ou o consumidor quer acessar, sem ser uma cópia”, explica Thiago Saldanha, diretor de tecnologia da Sinqia.

Ainda de acordo com o Banco Central, atualmente cerca de 400 instituições foram autorizadas a participar da nova forma de pagamento do PIX. Além disso, para participar do Open Banking é preciso obedecer diversas regras estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

As diretrizes estipuladas pelo BC incluem responsabilidades pelo compartilhamento de dados dos consumidores, bem como características próprias do procedimento que serão totalmente supervisionadas pelo Bacen.

“Quando uma instituição atende aos requisitos ela recebe um certificado digital. Somente duas empresas com este selo é que poderão compartilhar os dados dos clientes que autorizarem”, explicou o diretor financeiro do Popibank.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.