Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

PIX: Entenda o sistema Open Banking do Banco Central

No final de outubro, o Banco Central do Brasil divulgou uma nova funcionalidade do seu sistema de pagamentos instantâneo, o PIX. A novidade garante que o meio de pagamentos possa ser utilizado sem a necessidade de acessar o aplicativo bancário e é possível graças ao sistema  de compartilhamento de dados Open Banking, supervisionado pelo BC.

A nova função traz mais praticidade aos usuários e rapidez para realizar transações feitas por meio do PIX. De acordo com o Banco Central, a expectativa é de que a nova função seja completamente implementada até fevereiro de 2022.

“Melhora o ambiente de competição e ao mesmo tempo estimula aquelas instituições mais tradicionais a repensarem seus modelos de negócio, repensarem seus produtos, repensarem seus serviços”, disse João André Pereira, chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC sobre a nova função do PIX.

Como deve funcionar a nova função do PIX

Até o momento, cerca de 400 instituições foram autorizadas pelo Banco Central para utilizar o sistema Open Banking. Contudo, para utilizar a função é necessário que os consumidores autorizem o acesso das instituições aos seus dados bancários.

Ao fazer o registro de dados pessoais como número da conta e chave PIX em determinado site, será solicitado aos usuários uma autorização. Além disso, as empresas deverão perguntar se a autorização é exclusiva para aquela compra ou se o usuário permite que as informações sejam salvas para possíveis compras futuras.

Após preencher os dados no site os consumidores serão redirecionados para a página/aplicativo do seu banco, onde estarão disponíveis todos os dados da compra. Quando o consumidor autorizar, a compra será efetuada e a instituição bancária enviará uma mensagem para o cliente informando a compra. O BC ainda informou que será necessário que cada empresa tenha uma plataforma segura de pagamentos.

Sobre a segurança da nova função, Thiago Saldanha, diretor de tecnologia da Sinqia afirma que é preciso se atentar ao ambiente virtual de compras. “Evitar sites falsos, evitar clicar em links que não são conhecidos ou que são recebidos por e-mail ou por mensagem e garantir que realmente isso é homologado pelo Banco Central” disse.

O Open Banking é seguro?

Assim como todas as outras funções disponibilizadas pelo PIX, o Banco Central garante a segurança do sistema de pagamentos. Entretanto, é importante se atentar aos sites em que estão sendo feitas compras, bem como se a empresa é autorizada pelo BC.

“É importante o consumidor ter segurança de uso é que está utilizando dentro de um site confiável, dentro de uma instituição homologada pelo Banco Central e toda essa verificação pode ser vista através de um site do Banco Central onde são listadas todas as instruções aprovadas e homologadas e também garantir que o site acessado ou aplicativo é o site realmente que a pessoa ou o consumidor quer acessar, sem ser uma cópia”, explica Thiago Saldanha, diretor de tecnologia da Sinqia.

Para participar do novo sistema do PIX, os varejistas precisam se cadastrar no Banco Central como Instituição de Transação de Pagamentos ou Instituição Receptora de Pagamentos e seguir todos os protocolos definidos pelo BC.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.