Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pix: a solução de pagamento instantâneo do Banco Central do Brasil 

O Pix é a solução de pagamento instantâneo do Banco Central do Brasil. Confira alguns pontos importantes sobre a ferramenta!

O Pix é a solução de pagamento instantâneo do Banco Central do Brasil 

O Pix é a solução de pagamento instantâneo, criada e gerida pelo Banco Central do Brasil (BC), que proporciona a realização de transferências e pagamentos, conforme definição do próprio BC. Sendo assim, o Pix é concluído em poucos segundos, inclusive em relação à disponibilização dos recursos para o recebedor.

O Pix é um meio de pagamento assim como boleto, TED, DOC e transferências

Sendo assim, o Pix é um meio de pagamento assim como boleto, TED, DOC, transferências entre contas de uma mesma instituição e cartões de pagamento (débito, crédito e pré-pago).

O BC ressalta que a diferença é que o Pix permite que qualquer tipo de transferência e de pagamento seja realizada em qualquer dia, incluindo fins de semana e feriados, e em qualquer hora.

O acesso ao Pix ocorre exclusivamente pelos canais de atendimento das instituições financeiras

Dessa forma, segundo o BC, o acesso ao Pix ocorre exclusivamente pelos canais de atendimento das instituições financeiras e de pagamento (celular, internet banking, agências, caixas eletrônicos) ou nos correspondentes bancários, como lotéricas, por exemplo. O Pix é um meio de pagamento disponibilizado por esses prestadores de serviço.

Para pessoas físicas e jurídicas

Para as pessoas físicas, as instituições são obrigadas a disponibilizar o Pix por meio de aplicativo para celular, define o Banco Central. Já para as pessoas jurídicas, o Pix deve ser disponibilizado por meio do principal canal digital, ou alternativamente, por outro canal, desde que haja acordo expresso entre o participante e o usuário pessoa jurídica.

Além disso, o BC ressalta que para evitar golpes, o cliente deve ter a certeza de que está acessando um dos canais autorizados pelo seu banco ou instituição. Por isso, não acesse links de sites falsos, enfatiza o Banco Central. 

O Pix pode ser iniciado por aplicativos ou lojas virtuais que utilizem o serviço de iniciação

Adicionalmente, o BC informa que o Pix pode ser iniciado por aplicativos ou lojas virtuais que utilizem o serviço de iniciação. Nesses casos, o consumidor deve dar o seu consentimento para a iniciação da transação, sendo automaticamente redirecionado para o ambiente da instituição na qual mantém conta para fazer a autenticação da transação, usando os mecanismos usuais como senha, biometria ou reconhecimento facial. 

Conforme informa o BC, a ferramenta está em funcionamento pleno desde 16 de novembro de 2020. Entretanto, o Banco Central está implementando melhorias na ferramenta e agregando funções. 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.