Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Período Composto: definição, estrutura e exemplos

O período pode ser definido como um enunciado de sentido completo que contem ao menos uma oração, ou seja, apresenta um ou mais verbos em sua estrutura. Desse modo, os períodos podem ser simples ou compostos. Os simples têm apenas uma oração. Já os compostos têm uma estrutura mais complexa, com a presença de dois ou mais verbos.

Veja os exemplos:

Cora correu para fora do salão. (simples)

Sua tia pediu que eu fosse à feira ainda hoje. (composto)

O período pode ser composto por coordenação, composto por subordinação ou composto por ambos os tipos de relações. Assim, cada período tem as suas características, a depender do tipo de relação das orações que o compõem.

Composto por coordenação

Esses são os períodos cuja estrutura apresenta apenas orações coordenadas, ou seja, que não possuem função sintática em relação a outras orações. Nesse sentido, as orações coordenadas são sintaticamente independentes:

Acordei cedo, tomei banho, fiz o meu café e li o livro para a aula.

Acima, temos um período composto pelas seguintes orações: “acordei cedo”, “tomei banho”, “preparei um café”, “e estudei para a prova”. Como é possível observar, nenhuma dessas orações depende de outra sintaticamente. 

Além disso, as orações podem ser sindéticas, ligadas por conectivos, ou podem ser assindéticas, ou seja, que não são ligadas por conectivo. Veja exemplos:

Vim, vi, venci. (assindética, sem conectivos)

Preciso estudar, mas não quero. (sindética, conectivo mas)

Tomei a vacina e voltei para casa logo em seguida. (sindética, conectivo e)

Não demore porque estou com fome. (sindética, conectivo porque)

Assim, as orações coordenadas sindéticas podem ser: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas ou explicativas.

Composto por subordinação

O período composto por subordinação é formado por uma oração principal e por uma oração subordinada. As orações subordinadas são aquelas que exercem uma função sintática em relação à oração principal. A principal depende da subordinada para complementar o seu sentido. Assim, há relação de dependência sintática entre as orações.

Quero que os alunos retornem da excursão.

No período, a oração principal é “quero”, enquanto a oração subordinada é “que os alunos retornem da excursão”. Assim, a segunda oração exerce a função sintática de objeto da oração principal.

Há três tipos de oração subordinada e cada uma delas assume funções ligadas a uma classe gramatical diferente:

  • Substantivas: exercem função de substantivo. A subordinada substantiva pode ser subjetiva, objetiva direta, objetiva indireta, completiva nominal, predicativa ou apositiva.

É crucial que o presente compareça.

Ela não quer comer as frutas.

  • Adjetivas: exercem função de adjetivo. São explicativas ou restritivas.

Eu, que já não tinha amigos, fiquei sem graça de interagir com eles.

O filho que nasceu prematuro não vingou.

  • Adverbiais:  exercem função de advérbios e apresentam as seguintes classificações: adverbial, causal, consecutiva, final, temporal, condicional, concessiva, comparativa, conformativa e proporcional.

Quando acordo cedo, trabalho muito bem.

Apague a luz se sair da sala.

Agiu como se fosse uma atriz de verdade.

E aí? Gostou das dicas? Então deixe aqui o seu comentário!

Leia Como citar de acordo com as regras da ABNT.

Veja ainda O que fazer se “der um branco” na prova? Veja três dicas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.