Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

NOVO GOLPE da prova de vida do INSS: veja como é aplicado

Um novo golpe está sendo aplicado aos segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Desta vez, os criminosos utilizam a modalidade Prova de Vida como meio para conseguirem informações de dados pessoais dos beneficiários, a fim de solicitarem empréstimos e cartões, abrirem empresas e, até mesmo, contas em instituições financeiras.

Um novo golpe está sendo aplicado aos segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Desta vez, os criminosos utilizam a modalidade Prova de Vida como meio para conseguirem informações de dados pessoais dos beneficiários, a fim de solicitarem empréstimos e cartões, abrirem empresas e, até mesmo, contas em instituições financeiras.

Como o golpe da Prova de Vida acontece?

Desta vez, os golpistas se passam por servidores e, através de e-mail, mensagem de celular ou telefonemas, solicitam dados pessoais dos servidores, como foto de documentos e outras informações.

A desculpa utilizada pelos criminosos para contato é o “bloqueio do pagamento do benefício”, onde eles solicitam dados que, supostamente, serviriam para atualizar o cadastro do segurado. Em algumas situações, links  são enviados para a realização de uma biometria facial.

Qual a forma verídica de contato do INSS?

O instituto alerta os segurados que, durante a aplicação do golpe, os criminosos podem ser bastante convincentes a partir do momento em que apresentam uma informação pessoal do segurado para que acredite no motivo de contato.

No entanto, o INSS também informa que o instituto não faz contato via telefone para a realização da prova de vida, nem envia links para a realização de biometria facial.

Vale salientar que, o único canal digital usado pelo instituto para envio de documentos é o Meu INSS (site gov.br/meuinss ou aplicativo). Além disso, o único número de SMS utilizado pelo INSS para informar os cidadãos é 280-41.

INSS: É possível desistir da aposentadoria? 

A aposentadoria é um benefício muito esperado por muitos brasileiros. No entanto, em algumas situações, o valor do benefício não é o esperado pelo trabalhador, que escolhe, temporariamente, desistir da solicitação do auxílio.

A desistência do pedido da aposentadoria pode sim ser feita, e pode ser realizada em qualquer período, desde que o trabalhador não tenha sacado o primeiro depósito do benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), nem os recursos do FGTS ou PIS.

O primeiro passo para a desistência da aposentadoria é realizada no ato de não sacar o primeiro depósito do benefício. Ao não resgatar o valor, o processo de solicitação do benefício é automaticamente arquivado. Assim, o segurado pode aguardar a data que melhor lhe couber para um novo pedido.

No entanto, vale salientar que, os valores relacionados aos benefícios já citados, como FGTS  e PIS, não podem ser resgatados, pois o ato anula a possibilidade de desistência temporária da aposentadoria.

Caso não seja mais possível a desistência, o segurado somente poderá solicitar um ajuste no valor do benefício, que acontece através de uma revisão administrativa, ou até mesmo pela Justiça.

Como desistir do processo da aposentadoria?

A solicitação da desistência pode ser realizada através do site ou aplicativo Meu INSS ou por o atendimento presencial, que deve ser agendado pelo telefone 135.

Veja como fazer o procedimento pela internet:

  • Acesse o site Meu INSS ou aplicativo
  • Faça o login utilizando o número do seu CPF e senha
  • Na tela principal, clique em “Desistência” e, em seguida, clique na opção “Solicitar Desistência do Benefício”;
  • Confira os seus dados pessoais e clique em “Avançar”;
  • Leia as informações e clique em “Avançar”.
  • Informe se você é o próprio titular do pedido ou um procurador (deve anexar a procuração);
  • Na aba “Você deseja”, clique em “Desistir de aposentadoria”, em seguida, clique em “Sim”.
  • Nesse momento o segurado deve anexar os documentos para comprovar que não efetuou o saque dos benefícios, incluindo: carta de concessão (recebida pelo Correios ou impressa no Meu INSS); declaração da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil, informando que não houve o saque do FGTS ou PIS/PASEP; no caso de empresa com acordo de cooperação com o INSS, declaração informando o não recebimento do benefício.
  • Para o envio dos documentos, clique em “Novo”, e, em seguida, clique em “Anexar”. Para finalizar a distência, clique em “Avançar”.
5/5 - (1 vote)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.