Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo Bolsa Família não vai ter espaço para todos os vulneráveis, projeta Governo

Ainda não se sabe quantos novos beneficiários o Bolsa Família terá, mas dá para dizer que não vai ter espaço para todo mundo

O Governo Federal segue anunciando aos poucos os detalhes do seu novo Bolsa Família. Apesar de todo o barulho envolvendo o programa, pouco se sabe sobre ele ainda. Um dos pontos de maior polêmica é a quantidade de usuários que devem entrar no projeto novo do Palácio do Planalto em novembro.

Uma coisa, no entanto, é certa: não tem espaço para todo mundo. Dentro do Ministério da Economia se sabe que o Governo Federal não tem condições de pagar uma renda fixa para muitos milhões de brasileiros. Por isso, se imagina que muita gente que precisa desses montantes vai acabar ficando de fora do programa.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família atual atende cerca de 14 milhões de pessoas em todo o Brasil. Além disso, mais 2 milhões estão a fila de espera. São portanto brasileiros que tiveram as aprovações nas suas contas e que estão esperando apenas o chamado do Governo Federal para passar a receber as parcelas.

Ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial tem hoje cerca de 27 milhões de brasileiros que não fazem parte de outros programas sociais. São pessoas que ficarão sem nada depois que o projeto chegar ao fim. Isso considerando um cenário em que esses cidadãos não recuperem os seus empregos.

Em tese, o novo Bolsa Família teria que somar esses 27 milhões de brasileiros na conta do benefício. No entanto, isso está bem longe das projeções do Governo. Dentro do Ministério da Economia, se fala em aumentar o número de beneficiários para no máximo 17 milhões de pessoas. Apenas três milhões de novatos.

Paulo Guedes

Caso isso se confirme, então o plano do Ministro da Economia, Paulo Guedes, não vai ter dado tão certo assim. É que de acordo com o chefe da pasta econômica, a ideia do novo Bolsa Família seria justamente servir como um apoio para as pessoas que forem saindo do Auxílio Emergencial.

Só que como não dá para inserir muita gente, é provável que muitos desses informais que hoje recebem o Auxílio Emergencial acabem ficando sem nada a partir do próximo mês de novembro, que é quando o programa deve chegar ao fim.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial paga hoje valores que variam entre R$ 150 e R$ 375. Recentemente, o Governo Federal confirmou a prorrogação do programa por mais três meses. Assim, os pagamentos seguirão até outubro.

Solução para o Bolsa Família

Segundo o Ministro da Economia a solução para todo este problema está na vacinação em massa. De acordo com ele, o fim da pandemia vai fazer com que muita gente que recebe o Auxílio Emergencial hoje passe a arrumar um emprego.

Assim, ainda na visão do Ministro, essas pessoas não precisariam mais de programas do Governo. Dessa forma, a ideia é que isso acabe desafogando o novo Bolsa Família no final deste ano de 2021.

Caso a pandemia não apresente uma melhora e os empregos não voltem, Guedes apresentou ainda outra solução. De acordo com ele, é possível que o Governo Federal aplique uma segunda prorrogação no Auxílio Emergencial. Assim o programa poderia durar para além de outubro.

1 comentário
  1. Germana Diz

    Bom dia
    Meu nome é germana
    Sou autônoma e estou sim trabalho por causa da epidemia do convid.
    Estou com muitas dificuldades pra comprar Meus alimentos e pagar mias dívidas.
    Podeme ajudar porfavor a saber que tipo de benefícios tenho.aguafdo urgente sua resposta.grata

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.