Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

NOVA discussão para auxílio emergencial de R$600 será iniciada

De acordo com informações da imprensa local, a Prefeitura de Belo Horizonte fará reunião sobre Auxílio Municipal nesta quinta-feira (15)

A Prefeitura de Belo Horizonte deverá organizar uma reunião nesta quinta-feira (15). Membros do governo municipal deverão se encontrar com vereadores da cidade para discutir a questão da criação de um Auxílio Emergencial Municipal no valor de R$ 600. O público alvo seria justamente a população mais humilde.

De acordo com informações da imprensa local, o encontro com os vereadores deverá acontecer por volta das 16h30. No entanto, esse horário pode mudar a depender da disponibilidade dos parlamentares. O projeto em questão seria de autoria do Prefeito da cidade, Alexandre Kalil (PSD).

Pouco se sabe sobre essa proposta até aqui. Só o que a imprensa conseguiu adiantar é que a ideia da Prefeitura é realizar seis pagamentos de R$ 100. Então na prática, o valor do benefício seria dividido em seis partes iguais para os mais humildes. Essa é portanto a única informação sobre a ideia da Prefeitura da cidade.

Curiosamente, a Câmara de Vereadores está analisando neste momento um outro projeto sobre o Auxílio Emergencial. De acordo com os parlamentares, este texto que está em tramitação afirma que as pessoas receberiam um pagamento no valor de R$ 600 para os cidadãos em situação de vulnerabilidade.

O autor desse projeto que está na Câmara é o vereador Bruno Miranda (PDT). De acordo com ele, os parlamentares irão analisar a proposta da Prefeitura. “De minha parte, queria avançar nesse tema para algo concreto para a população mais pobre. Todo avanço é bem-vindo. Nosso PL previa R$ 600. Mas, sabemos da dificuldade orçamentária para avançarmos na plenitude da proposta. Vamos conhecer os detalhes primeiro para depois tirarmos as definições”, disse ele.

Valores do Auxílio

Como essa reunião ainda não aconteceu, ainda não dá para saber o que eles irão decidir no momento. De acordo com informações de bastidores, o mais provável é que eles decidam unificar os dois projetos com um valor igual para todos.

“A gente vai tentar dialogar. Eu considero a posição da prefeitura e do Kalil muito acertada. Agora, a gente deve movimentar todos os vereadores para poder acertar os valores. Não necessariamente o que a prefeitura vai mandar no projeto é o que vai ficar”, disse a vereadora mineira Bella Gonçalves (Psol).

O Prefeito Alexandre Kalil ainda não falou publicamente sobre este tema. Portanto, ainda não dá nem para saber se ele vai estar ou não nesta reunião desta quinta (15). O mais provável mesmo é que apenas os assessores dele estejam presentes.

Além de Belo Horizonte

De acordo com informações oficiais, várias cidades ao redor do país decidiram criar auxílios próprios neste momento. Desde o começo do ano, várias capitais decidiram aprovar projetos semelhantes de ajuda aos mais humildes.

A Prefeitura de Belo Horizonte e o Governo de Minas Gerais, aliás, foram dois dos poderes que mais demoraram para realizar os seus projetos no Brasil. No caso da situação da capital, o programa sequer saiu do campo das ideias ainda.

Recentemente, o Governo federal anunciou a prorrogação do seu Auxílio Emergencial. Dessa forma, o programa vai ganhar mais três meses de duração. Agora, o projeto deverá fazer pagamentos até, pelo menos, o próximo mês de outubro.

3 Comentários
  1. Susana Diz

    Não pagam nem o valor mínimo pra quem está no desemprego .
    Vão pagar 600 👍
    Piada 😂😂😂😂.
    A dataprev pega o valor mais alto de desconto pelo INSS dos cônjuges e o que está desempregado se ferra.
    Por favor o governo libera as primeiras parcelas sem nenhuma fiscalização correta e agora se vive com o que só de notícias sobre auxílio.
    Me poupe .
    Brasillllllllllllll

  2. Susana Diz

    Não pagam nem o valor mínimo pra quem está no desemprego .
    Vão pagar 600 👍
    Piada 😂😂😂😂.
    A dataprev pega o valor mais alto de desconto pelo INSS dos cônjuges e o que está desempregado se ferra.
    Por favor o governo libera as primeiras parcelas sem nenhuma fiscalização correta e agora se vive com o que só de notícias sobre auxílio.
    Me poupe .

  3. Rosana luiza da silva Diz

    Deus abençoa esse benefício para o povo brasileiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.