Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo encomenda um novo estudo sobre privatização dos Correios

O documento foi  assinado por Onyx Lorenzoni, ministro chefe da Casa Civil, e Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil.

Nesta terça-feira, 17 de dezembro, o Governo federal divulgou no Diário Oficial da União uma resolução que aprova a contratação, por parte do gestor do Fundo Nacional de Desestatização, a realização de estudos e pareceres especializados ao setor postal do Brasil para a avaliação de privatização dos Correios.

O documento foi  assinado por Onyx Lorenzoni, ministro chefe da Casa Civil, e Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil.

“Os estudos deverão avaliar a regulação e legislação do setor, condições de mercado e experiências internacionais com o objetivo de buscar alternativas de parceria com a iniciativa privada, considerando a necessidade de atendimento universal do serviço postal”,  diz o documento.

Segundo a pasta, a decisão foi tomada “considerando a necessidade de expandir a qualidade da infraestrutura pública e de conferir aos projetos de relevo o tratamento prioritário previsto na legislação”.

O texto destaca, ainda, “a necessidade de ampliar as oportunidades de investimento e emprego no país e de estimular o desenvolvimento econômico nacional, em especial por meio de ações centradas na ampliação e na melhoria dos serviços públicos prestados à população brasileira”.

O Governo Federal divulgou, em agosto, uma lista de empresas que integram o Programa de Parcerias de Investimento (PPI) ou o Plano Nacional de Desestatização (PND). Os Correios estavam presente nessa lista. Em setembro, os funcionários entraram em greve. A previsão é que uma possível venda da empresa aconteça em pelo menos dois anos.

Correios fecharãm mais de 160 agências no país

Os Correios anunciaram que 161 agências foram fechadas até o dia 05 de julho deste ano. A estatal informou que os motivos foram readequação da rede de atendimento e da força de trabalho. A iniciativa teve, de acordo com os Correios, assegurar maior produtividade e garantir unidades rentáveis, sem comprometer, no entanto, a universalização dos serviços postais.

“Dando sequência ao processo de readequação da rede de atendimento iniciado em 2018, os Correios migrarão para outras unidades as atividades de 161 agências, até o dia 5 de julho de 2019?, informou os Correios.

A empresa informou que o atendimento será absorvido por outras agências próximas, sem prejuízo da continuidade e da oferta de serviços e produtos. “A maioria das unidades que serão desativadas ocupa imóveis alugados e está sombreada por outras,” disse em nota.

Os empregados dessas agências serão transferidos para outras agências ou poderão optar pelo reenquadramento de atividade. Os Correios contam, atualmente, com 11 mil pontos de atendimento em todo o país.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

3 Comentários
  1. Julio Cesar Abreu Diz

    Estou precisando muito de trabalho porque eu preciso sustentar a minha família e não
    Tenho condições?

  2. Doraci dos santo Cerqueira Diz

    Não consigo sacar o dinheiro fui a provada mais não consigo tira porque gosta de saber tenho conta na caixa mais não caiu

  3. ROSANA VALERIA DE FARIA Diz

    Como faço p cadastrar minha filha nós correios pequeno aprendiz ela tem 14 anos somos de Jundiaí

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?