Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Na Europa, Pacheco diz que Auxílio Brasil não é favor do Governo

Em palestra em Lisboa, Presidente do Senado disse que Auxílio Brasil não passa de uma obrigação do Governo Federal

O Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) deu pela primeira vez declarações mais duras contra o Governo Federal. Durante uma palestra em Lisboa, em Portugal, ele disse que o aumento do valor do Auxílio Brasil nada mais é do que uma obrigação do Palácio do Planalto neste momento.

De acordo com Pacheco, aumentar o valor do benefício é uma necessidade neste momento. Ele lembrou, entre outras coisas, que há um aumento no custo de vida no Brasil. Há elevações de preços na cesta básica, na conta de luz, no botijão de gás e no combustível de automóveis.

“É obrigação atualizar de R$ 180 para R$ 400,00. O governo não faz favor nenhum com isso”, disse Pacheco na palestra em questão. Recentemente, o Presidente Jair Bolsonaro disse mesmo que o valor do Auxílio Brasil subiria de uma média de R$ 189 para um mínimo de R$ 400 para todos os usuários.

Essa é a primeira vez que Pacheco faz declarações mais duras contra o Governo Federal desde que assumiu interesse em se candidatar à Presidência da República no próximo ano. E aparentemente, o principal foco de crítica vai mesmo ser a questão do Auxílio Brasil, programa que deve substituir o Bolsa Família.

Pelo menos até a publicação desta matéria, o Governo Federal não tinha se pronunciado sobre essa declaração de Pacheco. Também não é provável que o faça. Neste momento, analistas políticos indicam que a relação entre o Presidente do Brasil e o do Senado está extremamente desgastada.

E o que o Auxílio tem a ver com isso?

Muita gente pode estar se perguntando neste momento, o que essa reação de Pacheco tem a ver com o Auxílio Brasil. E o fato é que uma coisa tem total relação com a outra. É que a postura do Presidente do Senado pode definir tudo.

Como se sabe, o Governo está alegando que só vai conseguir aumentar o valor do Auxílio Brasil caso o Congresso Nacional aprove a PEC dos Precatórios. Esse texto já passou pela aprovação da Câmara dos Deputados e agora está justamente no Senado Federal.

E é justamente aí que entra o Senador Rodrigo Pacheco. Ele pode ajudar ou não a dar mais velocidade para essa matéria. O mais provável é que ele atrase a votação, o que pode acabar complicando os planos do Palácio do Planalto.

Novo Bolsa Família

O objetivo do Governo Federal é começar os pagamentos do Auxílio Brasil já nesta semana. O primeiro repasse, aliás, deve acontecer já nesta quarta-feira (17) para os usuários que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) terminando em 1.

Só que neste primeiro momento os repasses ainda não serão turbinados. O Governo não deverá pagar ainda aquele mínimo de R$ 400 que eles tinham prometido para todos os usuários do projeto em questão.

A meta agora é fazer apenas a partir do segundo pagamento, que deve acontecer em dezembro. Além do aumento no valor, o Governo federal quer também elevar o número de atendidos. Esse patamar deve subir dos atuais 14,6 milhões para cerca de 17 milhões de brasileiros.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.