Mapa: simulação de emergência zoossanitária é importante para o setor agro 

Simulação de emergência zoossanitária é importante para a prevenção e para a manutenção da qualidade nas relações comerciais. Saiba mais!

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou uma simulação de emergência zoossanitária em Mato Grosso, de acordo com divulgação oficial realizada na data desta publicação.

Mapa: simulação de emergência zoossanitária é importante para o setor agro 

A orientação sobre como o serviço veterinário deve agir em caso de uma emergência zoossanitária foi o objetivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado do Mato Grosso (Indea-MT), rao realizarem um exercício prático simulando um caso fictício de febre aftosa para preparar as equipes nas mais diversas situações, em caso de ocorrência de focos de uma doença emergencial no Brasil. 

Diversas abordagens foram realizadas durante o treinamento

O treinamento, realizado no município de Juscimeira, no período de 30 de julho a 05 de agosto, envolveu mais de 236 pessoas e incluiu em sua parte teórica, além da febre aftosa, abordagens sobre a peste suína africana, peste suína clássica e influenza aviária, de acordo com recente divulgação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 A tecnologia e os procedimentos técnicos 

Segundo destaca a divulgação oficial, durante o treinamento foi instalado um Centro de Operações de Emergência Zoossanitária para que os participantes do serviço veterinário oficial brasileiro praticassem a organização e os procedimentos técnicos como a vigilância e investigação clínica e epidemiológica, biossegurança, colheita e envio de amostras para diagnóstico laboratorial, eliminação de focos, limpeza e desinfecção de instalações e controle e inspeção do trânsito de veículos na região, assim como o uso de softwares para coleta e processamento de dados e gestão da informação. 

Além disso, também foram realizadas atividades de planejamento, proposição de uma zona de contenção e atividades de comunicação de risco e educação em saúde animal.

 PE-PNEFA

Tendo em vista que o estado do Mato Grosso já se prepara para se tornar zona livre de febre aftosa sem vacinação, a atividade é uma das orientações contidas no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE-PNEFA) para a retirada da vacina contra a doença, destaca o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Participaram da ação auditores fiscais federais agropecuários, médicos veterinários e técnicos dos órgãos estaduais de sanidade agropecuária das 27 unidades federativas e profissionais da iniciativa privada de Mato Grosso, além de servidores da Defesa Civil, forças de segurança pública, Exército Brasileiro, representantes do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa), do Servicio Nacional de Sanidad Agropecuaria e Inocuidad Alimentaria (SENASAG) da Bolívia, e do Servicio Nacional de Calidad y Salud Animal (SENACSA) do Paraguai. 

As ações preventivas e a confiabilidade nas relações comerciais

Além do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Indea-MT, o exercício simulado recebeu o apoio do Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (FESA), do Fundo de Sanidade e Desenvolvimento da Suinocultura Mato-Grossense (FSDS) e da Prefeitura Municipal de Juscimeira.

Esse tipo de ação é fundamental para garantir a qualidade da carne, tanto a consumida no país quanto a exportada, elevando a confiabilidade entre as relações comerciais e impactando positivamente a economia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.