Já sabe quanto vai receber de 13º Salário? Confira agora

O 13º salário é um direito garantido aos trabalhadores CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), aposentados, pensionistas e servidores públicos. Essa gratificação, prevista na Lei 4.090 de 1962, é uma antecipação da gratificação natalina e é um auxílio financeiro extra que milhares de brasileiros recebem no final do ano. Neste artigo, vamos abordar como é feito o cálculo do 13º, quem tem direito a receber e outras informações relevantes sobre esse benefício.

Quem tem direito ao 13º salário?

O 13º salário é um direito de todos os trabalhadores CLT, aposentados, pensionistas e servidores públicos. Para os trabalhadores CLT, é necessário ter pelo menos 15 dias de trabalho no ano para ter direito a receber a gratificação. Já para os aposentados, pensionistas e servidores públicos, o 13º salário é garantido independentemente do tempo de serviço.

Como é feito o cálculo?

O cálculo do 13º salário é bastante simples. Para calcular o valor, basta dividir o salário integral por 12 e multiplicar pelo número de meses trabalhados. Se o trabalhador manteve vínculo empregatício com a mesma empresa durante o ano todo, o valor do abono será equivalente ao seu salário mensal. No caso de quem foi contratado em meio ao ano, o valor será proporcional aos meses de trabalho.

Vamos usar um exemplo para ilustrar o cálculo do 13º salário:

Situação:

  • Contrato de trabalho iniciado em 03/05/2023
  • Salário: R$ 2.500
  • Total de meses no ano: 12
  • Total de meses trabalhados: 9

Para calcular o 13º salário, dividir o salário por 12 e multiplicar pelo número de meses trabalhados:

R$ 2.500 ÷ 12 X 9 = R$ 1.875 de gratificação.

Vale lembrar que a base de cálculo do 13º salário é o salário bruto, sem deduções. Entretanto, no pagamento da segunda parcela, descontam-se a contribuição previdenciária e o imposto de renda.

Quando é pago?

A primeira parcela do 13º salário deverá ser paga até dia 30 de novembro. Essa parcela corresponde a 50% do valor total do benefício e é depositada diretamente na conta do trabalhador. Já a segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro e corresponder aos outros 50% do valor.

O que acontece em caso de demissão?

Em caso de demissão sem justa causa, o trabalhador tem direito a receber o valor proporcional ao tempo de trabalho. Por exemplo, se o trabalhador foi demitido em agosto, ele terá direito a receber 8/12 do valor do 13º salário.

Como este dinheiro impacta as finanças pessoais?

Para muitos brasileiros, o 13º salário é uma importante fonte de renda extra no final do ano. Esse dinheiro pode ser utilizado para diversas finalidades, como quitar dívidas, fazer compras de Natal, realizar viagens ou até mesmo investir em educação e qualificação profissional.

É importante ter um planejamento financeiro para utilizar o 13º salário de forma consciente. É prioritário recomendar o pagamento de dívidas, construir uma reserva de emergência e fazer um orçamento para não comprometer todo o valor recebido.

Dicas para aproveitar melhor o abono

  • Faça um planejamento financeiro: avalie suas necessidades e estabeleça prioridades para utilizar o 13º salário de forma consciente.
  • Pague dívidas: se você possui dívidas, utilize o 13º salário para quitá-las e evite o acúmulo de juros.
  • Invista em educação: considere investir parte do 13º salário em cursos e qualificações que possam contribuir para sua carreira.
  • Construa uma reserva de emergência: destina uma parte do 13º salário para criar uma reserva financeira que possa ser utilizada em situações de imprevistos.
  • Planeje as compras de Natal: utilize o 13º para fazer as compras de Natal de forma planejada, evitando gastos excessivos e individualização.

Utilize o abono de forma consciente

O 13º salário é um direito garantido aos trabalhadores CLT, aposentados, pensionistas e servidores públicos. O cálculo do benefício é simples e proporciona um auxílio financeiro extra no final do ano. É importante utilizar o abono de formação consciente, priorizando o pagamento de dívidas, a construção de uma reserva de emergência e o investimento em educação. Com um planejamento financeiro adequado, é possível aproveitar ao máximo esse benefício tão aguardado pelos brasileiros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.