Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Home Office: 73% dos entrevistados estão satisfeitos com o formato, diz pesquisa

Pesquisa aponta que grande parte dos brasileiros que atualmente trabalham em home office, estão satisfeitas com o formato remoto. Apesar disso, os trabalhadores afirmam que têm trabalhado mais horas do que antes.

O levantamento foi realizado pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Dos entrevistados, 73% estão satisfeitos com o trabalho de casa.
Além do número expressivo em relação a satisfação dos trabalhadores no formato remoto, a quantidade de trabalhadores que afirmaram querer voltar aos escritórios caiu de 19% para 14%.

“As pessoas estão muito satisfeitas. Esperávamos até um indicador um pouco abaixo, mas elas estão valorizando muito ficar em casa”, afirmou André Fischer, professor da FEA e coordenador da pesquisa.

Um dos problemas observados em relação ao trabalho remoto é o aumento na carga horária. Isso ocorre porque os trabalhadores estão conectados o tempo todo. Segundo Fischer, isso pode acabar afetando a saúde mental das pessoas.

Home office no Brasil

A pandemia de Covid-19 causou diversas mudanças por todo mundo, principalmente em relação ao home office. Contudo, trabalhar de maneira remota tem sido um benefício para pessoas mais qualificadas. Grande parte da população brasileira não teve essa oportunidade.

Segundo Geraldo Goés, especialista em políticas públicas e gestão governamental na Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac) do Ipea, a média da população brasileira em trabalho remoto é de 11%.

“Entendemos que são características laborais de cada atividade. Algumas são mais propícias ao trabalho remoto, como profissionais da educação, gerentes, tomadores de decisão” disse.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE na metade de 2021, os profissionais das ciências e intelectuais representam a maior parte dos trabalhadores que estão realizando suas atividades de forma remota. Profissionais com ensino superior completo e pós-graduação foram os que mais tiveram oportunidade de trabalhar em home office. Além disso, a maior parte dos trabalhadores que estão exercendo suas atividades de forma remota são brancos (65,6%) que trabalham no setor privado (63,9%).

Ajuda de custos no trabalho remoto

Após as diversas mudanças que as empresas precisaram enfrentar para respeitar os protocolos de segurança recomendados pelas autoridades de saúde, durante a pandemia de Covid-19, foi constatado que o home office pode ser vantajoso para as corporações.

Ao manter os trabalhadores em formato remoto, é possível economizar em questões de infraestrutura, como internet, água, luz, aluguel, entre outros gastos fixos. Além disso, por economizar o tempo de deslocamento até a empresa, muitos funcionários declararam trabalhar mais satisfeitos.

Apesar das vantagens, é preciso que as corporações estejam cientes que para haver a implementação efetiva do home office, é necessário que haja planejamento. É inteira responsabilidade da empresa garantir a infraestrutura adequada aos seus funcionários.

A pesquisa realizada pela FEA e FIA constatou que apenas 29% das empresas que adotaram o home office, fornecem ajuda de custo com internet e 13% com energia. Ademais, foi constatado que poucas empresas enviam equipamentos ergonômicos aos seus funcionários. Segundo André Fischer, os números têm melhorado em relação a 2020, mas ainda estão longe de ser o adequado.

 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.