Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Guedes se encontra com sindicatos para debater prorrogação do auxílio emergencial

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, participou de uma série de encontros com membros de sindicatos. O próprio Ministério confirmou essa informação. Na pauta de todas essas reuniões estava o Auxílio Emergencial e o seu valor para os próximos meses.

De acordo com membros da pasta, foi o próprio Paulo Guedes quem pediu por essa série de reuniões. O objetivo dele era entender como as camadas populares estavam entendendo o Auxílio Emergencial. Na prática, ele queria saber como o benefício estava sendo recebido pelas pessoas.

Os encontros acontecem dias depois que manifestantes foram às ruas para pedir um aumento do programa em questão. Os protestos que aconteceram em quase todas as capitais e no Distrito Federal pedem para que o Governo eleve o valor dos pagamentos para a casa dos R$ 600.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Palácio do Planalto está pagando este ano quatro parcelas de valores que variam entre R$ 150 e R$ 375. Isso é bem menos do que eles chegaram a pagar durante o ano passado, quando saíram parcelas de até R$ 1200 em alguns casos.

Mesmo depois desses encontros, o Governo segue firme no argumento de que não não pode aumentar os valores deste ano. De acordo com o Ministério da Economia, o Planalto precisa respeitar o teto de pagamentos, que no caso do Auxílio, é de R$ 44 bilhões.

“Visite a favela”

De acordo com informações de bastidores, alguns membros de entidades sociais pediram para que Paulo Guedes visite favelas do Brasil para ouvir a população de perto. Segundo essas informações, Guedes aceitou o convite, mas desviou de marcar uma data para isso.

Aliás, ele chegou a chamar membros da Central Única das Favelas (CUFA) para participar dessas reuniões, mas ninguém desse grupo apareceu. De acordo com o Ministério, eles alegaram que tinham uma live na internet marcada para o mesmo horário.

“Eu disse que, se quiser entender o negócio, eu poderia juntar pessoas de favela. Não para apoiar governo, mas para mostrar a importância das favelas. Debater o empreendedorismo na base da pirâmide social, trocar experiências com pessoas que tenham contribuições a dar para a sociedade nessa área. Vou levar um economista preto, uma economista mulher e empreendedores”, disse um dos diretores da CUFA.

Ainda de acordo com informações de bastidores, Paulo Guedes teria ficado surpreso com a informação de que pessoas em favelas estava dividindo o Auxílio Emergencial com diversas famílias. Seria uma maneira da comunidade se apoiar neste momento difícil para esses brasileiros.

Auxílio em pauta

Guedes recebeu também membros da União Geral dos Trabalhadores (UGT). De acordo com informações oficiais, trata-se portanto da segunda maior central sindical do país. Ele ouviu desses membros que eles querem o aumento do Auxílio Emergencial para a casa dos R$ 600.

No entanto, Guedes teria dito mais uma vez que o Governo não conseguiria fazer isso. Em entrevista depois da reunião, membros da UGT elogiaram a iniciativa do encontro, mas frisaram que possuem fortes diferenças ideológicas com o Ministro de Bolsonaro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.