Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Governo planeja pagar retroativos em agosto. Veja quem recebe

Segundo as projeções iniciais, Governo Federal deverá pagar ao menos dois retroativos no mês de agosto deste ano

Dentro de mais algumas semanas, o Governo Federal iniciará os pagamentos de novos retroativos para os seus auxílios sociais. Os valores podem chegar até a R$ 1 mil além do saldo natural de cada benefício. A informação ainda não foi confirmada oficialmente, mas internamente o Ministério do Trabalho já trata a situação como certa.

Os retroativos de agosto são referentes aos pagamentos dos novos programas sociais. Estamos falando do Pix Caminhoneiro e do auxílio-taxista. Em tese, os dois projetos fariam seus primeiros repasses já neste mês de julho. Contudo, o atraso na aprovação da PEC dos Benefícios fez com que o Governo tivesse menos tempo para aplicar a mudança.

Dessa forma, o Planalto precisa fazer seis repasses dentro dos cinco meses que restam para acabar o ano. Para conseguir o feito, eles precisarão pagar o valor original do programa em agosto, junto com o retroativo que os usuários deveriam ter recebido em julho. Na prática, os caminhoneiros e taxistas receberiam o saldo dobrado.

Ainda não é possível cravar qual seria o valor que eles receberiam, porque o Ministério do Trabalho ainda não bateu o martelo sobre os montantes. A situação do auxílio-taxista, por exemplo, ainda é nebulosa. Parte do Governo quer pagar algo em torno de R$ 200 e R$ 300, mas outra ala acredita que é possível liberar R$ 1 mil por mês.

De toda forma, os dois benefícios já têm prazo para acabar. De acordo com o texto da própria PEC dos Benefícios, o objetivo é manter os dois pagamentos entre os meses de agosto e dezembro deste ano. O Planalto trata os saldos como emergenciais, ou seja, eles só seriam pagos enquanto o preço do diesel for considerado alto.

A PEC

No final da última semana, o Congresso Nacional promulgou a PEC dos Benefícios. O texto já virou lei porque já foi aprovado em dois turnos tanto no Senado Federal, como também na Câmara dos Deputados.

O evento de promulgação contou com as presenças do presidente Jair Bolsonaro (PL), do presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Os três discursaram na cerimônia.

Além do Pix Caminhoneiro e do auxílio-taxista, o texto da PEC dos Benefícios prevê o aumento no valor do vale-gás nacional de R$ 53 para R$ 120 e a elevação nos pagamentos do Auxílio Brasil de um patamar mínimo de R$ 400 para R$ 600.

Auxílios

A PEC dos Benefícios estabelece que a grande maioria das mudanças nos programas sociais do Governo durem apenas até o final deste ano. Os projetos farão os repasses entre cinco e seis parcelas contando a partir de agosto.

Membros da oposição criticam a decisão do Governo de manter os aumentos apenas até o final deste ano. Eles alegam que o Planalto poderia estar usando os benefícios apenas para tentar algum ganho eleitoral, já que os aumentos duram até pouco depois das eleições.

Entretanto, o Governo Federal nega a acusação. Em entrevista na noite desta terça-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro disse que poderá manter o Auxílio Brasil na casa dos R$ 600 em 2023, caso ele seja reeleito no próximo mês de outubro.

5/5 - (1 vote)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.