Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo Federal propõe salário mínimo de R$ 1.169 para 2022

A definição do salário mínimo é uma temática bastante discutida na administração pública, que avalia os indicativos da inflação para corrigir o valor.

Nesta semana, o Governo Federal lançou a sua previsão para o salário mínimo de 2022. Segundo a equipe técnica, o piso nacional será reajustado para R$ 1.169, não trazendo ganhos reais a remuneração.

A definição do salário mínimo é uma temática bastante discutida na administração pública, que avalia os indicativos da inflação para corrigir o valor. Todavia, essa metodologia não será utilizada para 2022, acrescentando apenas R$ 69 ao atual piso nacional (R$ 1.1.00).

O que isso pode acarretar ao trabalhador brasileiro?

De modo geral, o novo salário mínimo não trará aumento real ao cidadão, uma vez que o país se encontra em uma situação de alta inflacionária. De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), atualmente a inflação está em 6,2%.

Este índice faz com que os preços dos produtos da categoria básica sejam elevados, como materiais alimentares, gás de cozinha, gasolina, entre outros. Segundo uma pesquisa realizada pelo Dieese, o atual salário mínimo é inferior cinco vezes a remuneração ideal para um trabalhador brasileiro.

No primeiro semestre do ano, o Governo havia definido um piso nacional de R$ 1.147 para 2022, que logo foi defasado devido ao aumento da inflação. Para todos os efeitos, a nova atualização é somente uma especulação, podendo ser alterada ainda até janeiro do próximo ano.

Salário mínimo e economia brasileira

Aumentar o salário mínimo significa um gasto maior para o Governo Federal. Considerando que a correção traria mais investimento de recursos tirados dos cofres públicos, a equipe técnica prevê cautela neste momento.

Isso porque, estima-se que a cada R$ 1 acrescentado ao piso nacional, uma despesa de mais de R$ 50 milhões é gerada nos cofres da União. Além disso, a correção também altera o valor de benefícios governamentais.

Abonos como os concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), seguro desemprego e PIS/Pasep, por exemplo, se baseiam no salário mínimo em vigência para determinar o valor de seus benefícios. Neste sentido, o reajuste impactará o Governo Federal em uma proporção maior.

Veja também: PIS/Pasep 2021: Adiamento pode pagar R$1.100 em dobro

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
7 Comentários
  1. Neide Lima Diz

    Mais é uma proposta indecente, faz a troca do salário mínimo com o salário de prefeito, vereador,deputado,ministro aí bando de urubú ia ver como se vive mal, principalmente quem toma medicamento 1 caixa de 311 fora o restante, isso é uma vergonha nacional,mais a culpa é do pobre que delega poder a políticos.

  2. Eraldo Diz

    A melhor resposta no circo chamado Brasil e voce rir das palhaçadas .governo e motivo de rir e aceitar as palhaçadas.

  3. Lucinda campos rangel Diz

    Bom dia como dia um ditado né quê pouco com Deus e muito pq é ele quê multiplica mais eu queria ver se não fosse esses grandão se estivesse recebendo esse salário minguado

  4. Keniaes Diz

    É um absurdo pensar que os alugueis subiram mais de 20% e o salário vai reajustar em menos de 6%… Como viver dessa forma?

  5. Isa de Santana Diz

    Deixe o salário no valor de R$ 1. 177, 00 que foi nas notícias Brasil 123

  6. Maria Diz

    Já estamos passando fome com o salário atual , imagine com esse que só em falar em aumento os preços das já sobe .

  7. mario angelo junger da silva Diz

    vai dar uma migalha de aumento de 69,00 reais para que?se nos mercados,nos postos de combustíveis os preços estão um absurdo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.