Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Falta de peças acarreta em menor produção de veículos em julho

A produção de veículos retraiu 4,2% em julho através de um comparativo que foi realizado no mesmo mês em 2020. O balanço foi divulgado na última sexta-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a produção de veículos neste último mês foi de 163,6 mil veículos, menos do que os 170,7 mil veículos do mesmo mês em julho de 2020.

Luiz Carlos Moraes, que é Presidente da Anfavea, atribuiu alguns fatores para a queda da produção, que já estava acontecendo em junho e piorou no último mês. Para Luiz, a interrupção das linhas de montagens em várias fábricas causou a falta de componentes, em especial os semicondutores.

Veja o que são semicondutores e sua relação com as peças de veículos

Semicondutores são materiais usados nas partes eletrônicas dos veículos. Esse tipo de material está passando por uma crise em várias partes do mundo, muito em conta da crise ocasionada pela pandemia de Covid-19. A falta de mão de obra, mesmo qualificando os profissionais e oferecendo maiores salários, é um dos compromissos a ultrapassar no restante do ano e conforme a vacinação avança tanto no Brasil como no mundo.

Nos sete primeiros meses do ano, a produção de veículos registrou uma alta de 45,8% quando comparado ao mesmo período em 2020, onde a montagem chegou a 1,3 milhão de unidades. Moraes, porém, destaca que o crescimento ainda é baixo, comparado que em 2020 ainda foi muito afetado pela pandemia.

Número de vendas

As vendas de veículos novos nacionais apresentaram uma retração de 3% em julho quando comparado ao mesmo mês em 2020, com o total de 150,9 mil unidades em 2020. Já nos primeiros sete meses de 2021, tivemos um total de 1,1 milhão de licenciamentos, o que representa um crescimento de 28,6% no total de vendas.

Já automóveis e veículos comerciais registraram uma leve queda nos meses de julho, fechando em 4,5% a menos do que no mês anterior. O setor conseguiu números expressivos no primeiro semestre do ano, com vendas acumuladas de 27,6%, sobretudo nos veículos comerciais leves.

Veículos pesados como os caminhões apresentaram uma alta nas vendas de 21,9% em julho se comparado ao mesmo mês em 2020, com 11,1 mil unidades sendo emplacadas. No acumulado dos seis primeiros meses do ano, foram vendidas 66,9 mil unidades.

Número de exportações e balanço de emprego

As vendas de veículos para o exterior registraram uma queda de 18,4% em julho no comparativo com o mesmo período de exportações em 2020. Foram exportadas em julho entre 23,7 mil e 223,9 mil unidades. No acumulado do período entre os meses de janeiro a julho, o crescimento chega a 50,7%.

Já em relação aos empregos gerados no mês de julho, às montadoras empregaram 102,7 mil pessoas, o que representa uma queda de 1,2% quanto aos postos de trabalho referentes à vagas de empregos que envolvem montadoras de veículos.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.