Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Estudo mostra que medidas contra a covid-19 são pouco adotadas por crianças

Estudo feito pela ONG Visão Mundial aponta que poucas crianças adotam as medidas de prevenção contra a covid-19. De acordo com a pesquisa intitulada A Voz dos Alunos, apenas 40% dos alunos participantes afirmaram adotar as quatro medidas citadas na pesquisa. Divulgada nesta sexta-feira (16),a pesquisa foi feita entre março e abril deste ano.

A pesquisa foi feita em nove estados e 15 municípios, com crianças de 7 a 11 anos que vivem em comunidades vulneráveis e estão matriculadas em escolas públicas. De acordo com a ONG, foram ouvidas 688 crianças. 

O estudo avaliou a adesão das crianças nessa faixa etária às medidas estabelecidas durante a pandemia. Desse modo, a pesquisa incluiu as seguintes medidas de prevenção contra a covid-19: aplicação de distanciamento social, uso de máscara, utilização de álcool gel e utilização de produtos de limpeza. 

Menos da metade adotam todas as medidas (40%), enquanto 28% afirmaram adotar apenas uma das medidas. Além disso, 8% das crianças informaram que vivem conflitos familiares que atrapalham nos estudos.

Mais da metade das crianças têm dificuldade para acessar as aulas online

Quanto ao ensino remoto, 58% das crianças relataram ter dificuldade para acessar a internet, enquanto 34% enfrentam problemas com relação a materiais escolares. Sobre a retomada das aulas presenciais, quase metade das crianças entrevistadas (45%) têm medo pelo risco de contaminação.

A ONG explica que “diante de toda essa crise imposta pela pandemia, as crianças ainda não haviam sido ouvidas, apesar de serem prejudicadas de distintas formas”. De acordo com o coordenador de Advocacy da Visão Mundial, Reginaldo Silva, ouvir as crianças é crucial para pensar em como apoiá-las durante a pandemia.  

Ele ressalta ainda que é preciso “criar ferramentas que deem subsídios para que elas possam assumir protagonismo na transformação das suas realidades e de suas comunidades”.

O estudo contemplou alunos das seguintes cidades: Anori (AM); Boa Vista; Camaçari (BA), Caraúbas (RN); Contagem (MG); Fortaleza; Jaboatão dos Guararapes (PE); Manacapuru (AM); Manaus; Nova Iguaçu (RJ); Olinda (PE); Recife; Rio de Janeiro; Salvador; e São Luís.

Com informações da Agência Brasil.

Gostou do texto? Então deixe aqui o seu comentário!

Veja: Governo da Bahia define volta às aulas presenciais para o dia 26 de julho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.