Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Entenda por que Auxílio Emergencial pode ir para além de outubro

De acordo com o Governo Federal, Auxílio Emergencial pode fazer pagamentos para além do mês de outubro em uma situação específica

O Governo Federal anunciou há algumas semanas a prorrogação do Auxílio Emergencial por mais três meses. Com isso, o projeto não vai mais durar até abril, e sim até o próximo mês de outubro. No entanto, essa informação pode mudar e o benefício pode acabar ultrapassando esse limite de tempo.

Quem confirmou essa história foi o próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes. Em entrevistas recentes, o chefe da pasta econômica disse que o Brasil pode aplicar uma segunda prorrogação no Auxílio Emergencial. No entanto, isso só vai acontecer se a pandemia do novo coronavírus não apresentar uma melhora.

Não é isto o que o Governo quer que aconteça. De acordo com Guedes, a torcida dentro do Palácio do Planalto é para que não exista mais a necessidade de se pagar o benefício para além do mês de outubro. No entanto, eles querem se proteger de possíveis imprevistos e começaram a imaginar o que aconteceria em um cenário com piora da pandemia.

Nessas entrevistas, Guedes vem citando muito as promessas de governadores ao redor do país. Políticos como o Governador de São Paulo, João Dória (PSDB) e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) estão prometendo vacinar as populações dos seus estados dentro de mais alguns meses.

Caso eles consigam cumprir essas promessas, e as outras regiões do país sigam o mesmo ritmo, então é provável que o Auxílio Emergencial chegue ao fim mesmo em outubro. No entanto, Guedes diz que o Governo Federal segue olhando os dados diários de novas mortes e de casos da Covid-19 no Brasil antes de tomar uma decisão sobre isso.

Auxílio

No final do ano passado, o Ministro da Economia traçou uma estratégia sobre o Auxílio Emergencial. Guedes disse que o ideal seria acabar com o programa no final de dezembro e garantiu que os empregos voltariam no começo deste ano.

Esse plano, no entanto, não deu certo. Os números da pandemia pioraram rigorosamente. Além disso, a taxa de desemprego segue alta. Tudo isso fez com que o Governo decidisse retomar os pagamentos do programa em abril.

O plano agora é não deixar que isso se repita. Por isso, o Governo não pretende acabar com o Auxílio até que a pandemia do novo coronavírus no país não esteja em situação de controle em todos os estados.

Prorrogação

Até aqui, no entanto, o que se sabe mesmo é que o programa vai mesmo fazer pagamentos até o próximo mês de outubro. Logo depois disso quem assume é o novo Bolsa Família. Esse é o plano do Governo Federal.

De acordo com as informações de bastidores, o Planalto está remodelando o programa quase que completamente. A ideia, entre outras coisas, é mudar o nome do projeto para ligar ele ao Presidente Jair Bolsonaro.

Entre as mudanças, destacam-se também os valores que devem subir de patamar e a quantidade de beneficiários que deverá crescer também a partir de novembro. O Governo também quer que o novo Bolsa Família seja mais centralizado no Palácio do Planalto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.