Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

4/5 - (6 votes)

Eleições e o auxílio emergencial de até R$375 com o auxílio Brasil de R$400

Líder do Governo no Senado Federal critica as pessoas que estão dizendo que o Governo quer usar Auxílio Brasil para ganhar eleição/

O Governo Federal deverá começar dentro de mais alguns dias os pagamentos do Auxílio Brasil. Para quem não sabe ou não lembra, esse é o programa que deve substituir o Bolsa Família já a partir deste mês de novembro. Só que com essa mudança, milhões de brasileiros terão cortes em seus benefícios.

Em entrevista para a emissora GloboNews, o próprio líder do Governo no Senado, o Senador Fernando Bezerra Coelho (MBD-PE) disse que isso seria uma prova de que a preocupação do Presidente Jair Bolsonaro agora não seria com a eleição. Ele disse que existe uma necessidade simples de ajudar os mais pobres.

“Para manter o auxílio emergencial em 2022, o governo gastaria R$ 140 bilhões. Se este governo pensasse na eleição, não tiraria 20 milhões de pessoas do auxílio. Mas o governo busca atender de fato os que estão passando fome, com cautela e prudência”, disse o Senado na entrevista em questão.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial, que teve os pagamentos retomados no último mês de abril, estava atendendo em outubro algo em torno de 35 milhões de pessoas. Retirados os usuários que migraram de benefício, o Bolsa Família, que também chegou ao fim em outubro, estava atendendo cerca de 4 milhões.

Isso quer dizer portanto que juntando os números de atendidos únicos pelo Auxílio Emergencial com os do Bolsa Família, nós tínhamos cerca de 40 milhões de pessoas recebendo algum benefício do Governo Federal até o mês de outubro. Agora em novembro, esse número vai cair para 14,6 milhões. Pelo menos é isso o que sabe até a publicação deste artigo.

Por que isso vai acontecer?

De acordo com informações do Governo Federal, o plano do Palácio do Planalto já está fechado. Eles querem aumentar o tamanho do Bolsa Família tanto na questão dos valores médios como também no número de usuários.

Acontece no entanto que esses aumentos, sobretudo o no número de beneficiários, vai acontecer apenas quando se compara com os números do Bolsa Família antigo. O Auxílio Emergencial não está servindo de comparação.

Recentemente, o Ministro da Cidadania, João Roma, disse em declaração pública que o Governo estava tentando encontrar um caminho para atender esses milhões de brasileiros que ficarão sem nada em breve.

Auxílio Brasil aumenta em dezembro

Vale lembrar que o Auxílio Brasil, programa que vai substituir o Bolsa Família, vai entrar em cena a partir do próximo dia 17 deste mês. Na ocasião, os pagamentos serão feitos para os usuários que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) terminando em 1.

Só que é importante ressaltar que neste primeiro momento, o Auxílio Brasil ainda não terá os valores turbinados. O Presidente Jair Bolsonaro vinha prometendo que pagaria R$ 400 no mínimo para cada um dos 17 milhões de beneficiários.

Já se sabe que isso não vai poder acontecer em novembro. De qualquer forma, o novo plano do poder executivo é começar a fazer as liberações turbinadas a partir do próximo mês de dezembro, ou seja, a partir do segundo pagamento.

4/5 - (6 votes)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. Claudio Diz

    ….Queremos a volta do auxílio emergencial no BRASIL HÁ MUITA GENTE PASSANDO FOME…PROBLEMAS DE EMPREGO E AUTOSSUFICIENCIA…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.