Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

UnB: cerimonial oferece alternativa virtual às colações de grau

As cerimônias são restritas aos formandos, professores e técnicos administrativos envolvidos na solenidade

Solenidade que sela a conclusão de etapa muito relevante na vida dos graduandos, as colações de grau, assim como várias outras atividades que se realizavam preferencialmente de forma presencial, precisaram se reinventar durante a pandemia de Covid-19. Para contornar as limitações impostas pela emergência de saúde pública, a equipe da Comissão de Cerimonial (Ceri/UnB) tem organizado a solenidade por meio de plataformas on-line.

“A nossa maior preocupação é que as pessoas estejam bem e seguras em suas casas, porque a nossa intenção é facilitar o processo, independente do meio em que a cerimônia é realizada. Com a utilização da plataforma virtual como alternativa, os formandos da UnB tem o ritual garantido e, durante a pandemia, não serão prejudicados pela falta de diploma”, detalha a coordenadora do Ceri, Marcela Silva.

As cerimônias são restritas aos formandos, professores e técnicos administrativos envolvidos na solenidade. Os estudantes podem, contudo, utilizar as ferramentas de gravação da plataforma para registrar o momento e manter para a posteridade. As colações têm sido realizadas, preferencialmente, nas plataformas Microsoft Teams e Conferênciaweb, da Rede Nacional de Pesquisa (RNP).

O Ceri presta apoio na criação das salas virtuais, no acompanhamento das unidades, para identificar dificuldade dos participantes no manuseio da plataforma, além de oferecer o serviço de mestre de cerimônia. “As cerimônias têm durado entre 30 e 45 minutos e, por incrível que pareça, as colações acontecem com os mesmos ritos do modelo presencial, com os juramentos e as homenagens feitas por oradores”, destaca.

De acordo com Marcela Silva, o maior desafio enfrentado pela unidade foi inserir grande número de participantes, principalmente pela gestão de diferentes modos de conexão. Foram realizadas colações de grau para quatro turmas de medicina, uma de turismo, com cerca de 20 estudantes presentes em cada cerimônia, e cinco turmas de engenharias na Faculdade UnB Gama (FGA), com 98 graduandos.

Como alternativa, os formandos podem contratar uma empresa externa à Universidade para estruturar a colação, de acordo com suas preferências. Foi o caso do grupo de estudantes de engenharia.

“O processo em si não se diferenciou de um processo tradicional de colação solene presente. O que difere mesmo é como ocorre. Foi uma experiência excelente. Nossa maior preocupação era com os formandos e se eles teriam os equipamentos necessários e uma conexão adequada. A plataforma escolhida pela UnB dá diversas possibilidades, podendo ser utilizada nos mais simples dos celulares, basta ter uma câmera”, aponta Janaina Meireles, responsável pela empresa contratada

De acordo com a empresária, o diferencial da solenidade remota é a facilidade de todos os formandos participarem, pois, no evento presencial, cerca de 10% dos graduados não conseguem comparecer, em alguns casos por dificuldade no deslocamento ou por motivos profissionais. “Foi muito interessante, pois todos participaram.Tivemos formandos que participaram do próprio local de trabalho ou mesmo do exterior”, afirma.

Alívio

Graduado em medicina, Sergio Mariano Zuazo entende a medida como necessária mesmo sem os aspectos simbólicos da versão presencial. “É um preço pequeno a se pagar, diante da possibilidade de sair desse estresse de não saber como a situação poderia ser resolvida”, compartilha. De acordo com o egresso, a pandemia tem demandado novos profissionais da área e, com isso, os postos de trabalho e o campo para experiência estão mais acessíveis aos recém-graduados.

“O Brasil estava precisando de novos médicos para atuar na linha de frente. Muitos colegas que estão trabalhando nos hospitais de campanha tentam ajudar a sociedade nesse momento tão difícil pra ver se conseguimos retribuir tudo o que foi investido em nós”, aponta Rafael Gobbato Brandão Cavalcanti, também recém-formado em medicina.

Embora tenham uma quebra de expectativas em relação à colação presencial, Rafael destaca que o modelo não impediu de reunir a família. “Foi uma alternativa bem prudente e sagaz para conseguir fazer o momento ser bem importante, mesmo durante a pandemia”, reflete Gobbato. “Houve vantagens, principalmente por estarmos ao lado de nossos amigos que batalharam tanto por isso. Gravamos e eternizamos o momento”, completa.

Ao final da situação de emergência em saúde pública no Distrito Federal, com a normalização das atividades presenciais na Universidade de Brasília, cerimônias que tiverem sido realizadas de forma remota poderão ter uma nova edição presencial, de caráter simbólico. As turmas deverão manifestar o interesse junto aos seus departamentos, que irão comunicar ao Cerimonial e agendar a solenidade presencial. “O Ceri entende que é um momento importante não apenas para os alunos, mas para a família e, por isso, hoje ocorre a colação virtual oficial e, futuramente, eles poderão fazer uma cerimônia presencial simbólica”, detalha Marcela Silva. *As informações são da Secom/UnB

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?