Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

E-commerce: tentativas de fraudes crescem 32%

Se a pandemia fez com que o e-commerce aumentasse, ou seja as compras online, os criminosos também ficaram mais atentos a isso. Para se ter uma ideia, o número de tentativas de fraudes aumentou 32,7%.

Os números são do Mapa das Fraudes, divulgado nesta quarta-feira pela ClearSale.

De de janeiro a julho os bandidos tentaram aplicar golpes 2,6 milhões de tentativas de fraudes por meio do e-commerce, em cerca de 152 milhões de pedidos realizados – percentual de 2%. Já no mesmo período de 2020, o percentual de tentativas de golpe foi de 1,5%.

Os números, de acordo com especialistas, o aumento de tentativas de golpe nos e-commerce são consequência do crescimento natural do crescimento do setor.

“Existe um aumento forte da digitalização, com novas pessoas entrando nesse universo on-line, e que precisam ser educadas nesse tema”, diz Omar Jarouche, diretor de Marketing e Soluções da ClearSale.

Megavazamento de dados

O megavazamento de dados que aconteceu no ano passado, também é apontado como uma das causas para esse resultado no e-commerce, embora não a única ou principal.

“Esses megavazamentos não interferem diretamente na curva e na expectativa de fraude futura. Isso a gente viu em muitos momentos da história. Quando a gente olha os tipos de fraudes, são criminosos profissionais, não são amadores. São pessoas que vivem disso, entendem os mecanismos. Eles não esperam os grandes vazamentos. Eles usam phishing e engenharia social para conseguir dados até mais atualizados do que os vazamentos”, explicou o diretor de Marketing e Soluções.

Celulares são os itens mais fraudados do e-commerce 

A ClearSale, empresa que atua para barrar as fraudes, apontou que a maioria dos goples no

e-commerce são realizados para comprar celular. Veja abaixo a porcentagem de tentativa de compra fraudulenta entre alguns itens:

  • Aparelhos celulares (5,1%);
  • Produtos eletrônicos (4,9%);
  • Games (4,2%).

Isso acontece pelo alto valor do produto e pela facilidade da venda.

Veja também as porcentagens de golpes no universo de compra pela internet por região:

  • Norte 4,3%;
  • Centro-Oeste 2,4%;
  • Nordeste 2,3%;
  • Sudeste 1,9%;
  • Sul 0,9%

Cartão de crédito é meio mais seguro

De acordo Omar Jarouche, o cartão de crédito é a maneira mais segura de comprar online, já que é possível a devolução do dinheiro. O que não é possível por Pix ou boleto. O cuidado neste caso deve ser para não realizar a compra em sites falsos e ter o cartão clonado.

“Às vezes as pessoas têm medo de usar o cartão de crédito, mas quando o consumidor identifica uma transação que não realizou, é muito mais simples conseguir o ressarcimento desse valor. Cada banco tem uma burocracia diferente, mas é praticamente garantido que vai receber o dinheiro de volta ou ter a compra cancelada da fatura. Apesar de haver um risco no cartão, é um risco controlado”, afirma Jarouche.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.