Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Devolução do Auxílio Emergencial: O que acontece com quem não devolver os valores?

As notificações orientam os sujeitos a devolver os valores de forma voluntária. Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas tenham sido alertados.

O Ministério da Cidadania enviou esta semana mensagens via SMS para os cidadãos que receberam o benefício do Auxílio Emergencial indevidamente. As notificações orientam os sujeitos a devolver os valores de forma voluntária. Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas tenham sido alertados.

Veja também: Auxílio Emergencial terá adicional de até R$ 3 mil; saiba quem pode receber

“Este é o último lote de mensagens a ser enviado no ano de 2021. O objetivo é alcançar um novo público, formado por pessoas identificadas pelos órgãos de controle como indicados a procederem à devolução de recursos do Auxílio Emergencial”, explica o secretário de Avaliação e Gestão da Informação (SAGI) do Ministério da Cidadania, Ronaldo Navarro.

O que impede o recebimento do Auxílio Emergencial?

  • Ter vínculo empregatício;
  • Receber benefícios previdenciários ou assistenciais;
  • Receber benefício emergencial;
  • Receber o seguro defeso;
  • Receber o seguro desemprego;
  • Estar com o CPF irregular;
  • Ser funcionário de empresas estatais;
  • Ser servidor ou pensionista militares;
  • Ser servidores públicos;
  • Ter rendimentos tributáveis acima do limite, dentre outros.

De acordo com a equipe da Cidadania, as mensagens estão sendo enviadas pelos números 28041 ou 28042. Além disso, o texto é bastante objetivo e identifica o cidadão por meio do seu número de CPF. Veja abaixo:

“O CPF ***.456.789-** tem parcelas a devolver do Auxílio Emergencial. Devolva as parcelas em gov.br/devolucaoae. Fraude denuncie em gov.br/falabrae”.

O que ocorre se alguém não devolver o Auxílio Emergencial?

Vale ressaltar que a devolução está sendo feita com a emissão de uma Guia de Recolhimento da União (GRU), por meio do preenchimento cadastral no site do Ministério da Cidadania.

O pagamento pode ser realizado nos canais de atendimento do Banco do Brasil ou em outras instituições informadas com antecedência no processo de emissão do GRU.

No entanto, caso o cidadão não consiga realizar o pagamento total do valor, infelizmente ficará inadimplente junto à Receita Federal, sujeito a responder por crime de fraude, e ainda, ter o seu CPF bloqueado. A devolução deve ocorrer integralmente à vista.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

7 Comentários
  1. Cida Diz

    Sou a favor da devolução a vista sim do valor total. Pq as pessoas que fizeram o cadastro mesmo sabendo que não poderia fazer que errou também. Tentando o famoso jeitinho brasileiro”vai que dá certo”…tirando a vez de outras pessoas que precisam. Falta de respeito, e pensar apenas no próprio umbigo.

  2. Patrícia Vieira do carmo Diz

    Sou a favor que devolva mais que facilite sendo feito o parcelamento. Até pq o erro foram de vcs que deveriam ter feito uma alto analise e visto quem realmente precisa e quem ñ precisava.

  3. Ernani Silva de sena Diz

    Isso é muito justo sim, teve muitas pessoas que não precisava, e mesmo assim receberam, tirando o benefício de quem mas precisa, isso falta de respeito com as pessoas que precisam!!!

  4. Daiana Diz

    E quem recebeu relatando que o filho mora junto só para receber e o filho eh casado e mora até em outra cidade

  5. Renato Tabachi de Souza Diz

    Não existe espaço para ampla defesa? Tenho muitos casos de pessoas que estão no auxílio e por erro de endereço deverão devolver o que já não tem como.
    É injusto, é desumano não dá direito de justificativa e cancelar o CPF de pessoas boas. Isso é jogar o que já tá ruim, ainda mais na sarjeta.

  6. Wellington Jocz Dias Diz

    Pois bem, quem pegou de forma irregular tem que devolver. Mais poderiam facilitar; para o povo que pegou. Poderiam parcelar; quem é que vai ter 3000,00 reais. Para devolver no valor a vista.

  7. Sandra Diz

    Acho justo isso, se bem que conheço pessoas q precisam é nunca receberam, mas tbm conheço outras q estão empregadas c carteira assinada e outras q tem uma super renda extra e recebem auxílio emergencial, Acho injusto isso

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.