Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Crédito imobiliário da Caixa deve ter aumento de 15% em 2022

A carteira de crédito da Caixa Econômica Federal tem previsão de crescimento de cerca de 10% neste ano e de 10% a 15% em 2022, mesmo com o ciclo de alta da taxa Selic (taxa básica de juros), afirmou na última segunda-feira (13) o presidente do banco estatal, Pedro Guimarães.

A Caixa é a maior financiadora imobiliária do país, e conta com uma carteira de crédito de cerca de 550 bilhões de reais no setor.

“Estamos batendo recorde esse ano e vamos crescer ao redor de 10% no ano que vem após feita a correção de juros e acertamos ao precificar”, disse Pedro Guimarães.

Pedro Guimarães afirmou anteriormente que a Caixa iria emprestar de 10% a 15% mais em 2022, e que parte do mercado precificou mal a taxa de juros de 10 anos, apostando em 12% ao ano há pouco mais de um mês, no entanto essa previsão agora sofreu um recuo ficando em cerca de 10% ao ano. “A equipe da Caixa nunca acreditou numa taxa de 12%, 12,5%”, disse o presidente.

Juros e inflação derrubam crédito imobiliário e venda de imóveis

A inflação e os consecutivos aumentos na taxa básica de juros (Selic) pelo Banco Central (BC) para combatê-la estão sendo refletidos no mercado imobiliário. A constante procura pelo crédito imobiliário recuou e as vendas de imóveis, que vinham indicando forte crescimento, também caíram.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), em outubro, as instituições financeiras ofereceram R$17,156 bilhões em crédito imobiliário, recuo de 3,9% se comparado a setembro.

Com isso, as vendas de imóveis residenciais sofreram um recuo de 9,5%, chegando a 58.941 unidades, no terceiro trimestre se comparado ao mesmo período de 2020, segundo dados fornecidos pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

No intuito de atrair clientes, os bancos estão oferecendo sorteios de cupons para quem contratar financiamento até o final do ano de 2021.

Em novembro a Caixa aumentou a taxa de financiamento imobiliário

A Caixa Econômica Federal no mês de novembro aumentou a taxa de juros de uma de suas mais importantes linhas de financiamento imobiliário. De acordo com as simulações realizadas pelo site da Caixa, a taxa a ser cobrada no financiamento para clientes que tenham relacionamento com a Caixa e conta-salário aumentou de 7,35% em outubro para 8% em novembro.

O aumento na taxa foi constatado na modalidade de financiamento com Taxa Referencial. Nessa linha de crédito, o cliente paga uma taxa de juros pré-definida, mais a TR, que hoje está zerada. Esta é a linha de crédito mais utilizada pelos clientes que procuram crédito imobiliário

Com esse aumento na taxa, de 735% para 8%, o cliente teria que pagar R$43 mil a mais para conseguir financiar um imóvel de R$700 mil, dando entrada de R$270 mil. Esse cálculo foi realizado por Daniele Akamine, especialista em direito imobiliário, e o cálculo considera um prazo de 360 meses.

A Caixa foi a última das grandes instituições financeiras a realizar o reajuste dos juros do financiamento imobiliário depois das consecutivas altas na taxa Selic. Até o mês de março deste ano, a taxa básica de juros estava em 2%, até novembro, já haviam sido seis reajustes seguidos alcançando 7,75% ao ano, neste mês a taxa já alcançou a marca de 9,25% ao ano o que mostra um cenário não muito otimista.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.