Copom: ciclo econômico e atualização sobre a política monetária

O Copom analisou o ciclo econômico e a política monetária. Confira informações oficiais do Comitê de Política Monetária!

De acordo com informações oficiais do Comitê de Política Monetária (Copom), diversos fatores impactaram a decisão do Comitê em manter a Selic em 13,75% ao ano. Confira apontamentos importantes! 

Copom: ciclo econômico e atualização sobre a política monetária

Além disso, itens relacionados a bens industriais, refletindo a queda de preços ao produtor e a distensão das pressões nas cadeias globais de valor, também apresentaram uma incipiente queda.

No entanto, os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária, que apresentam maior inércia inflacionária, mantêm-se acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta para a inflação.

Cenários e análise de riscos

O Comitê de Política Monetária (Copom) explica que a trajetória para a taxa de juros é extraída da pesquisa Focus e a taxa de câmbio parte de USD/BRL 5,202 evoluindo segundo a paridade do poder de compra (PPC). 

Além disso, dada a persistência do processo inflacionário e a elevação de projeções de inflação em várias economias, o Comitê de Política Monetária (Copom) avalia que o risco de uma desaceleração mais acentuada da atividade econômica global se elevou. 

Indicadores

Medidas de grau de ociosidade de uma economia possuem elevada incerteza, destaca o Comitê de Política Monetária (Copom). Atualmente, a análise de alguns indicadores de atividade, especialmente do mercado de trabalho, tem levado à discussão sobre o caso de o hiato do produto estar mais estreito do que o utilizado atualmente pelo Comitê de Política Monetária (Copom) em seu cenário de referência. 

Taxa Selic

Avalia-se que o repasse da taxa Selic para as taxas finais de diferentes modalidades de crédito tem ocorrido conforme esperado, ainda que as concessões de crédito para pessoa jurídica sigam mais robustas que o esperado. 

O Comitê de Política Monetária (Copom) debateu a velocidade da desinflação de serviços e como a inflação dos itens menos voláteis se comportaria nos próximos trimestres. 

Sobre a trajetória da inflação

De acordo com a recente divulgação oficial, avalia-se que há diversos fatores que podem afetar a trajetória da inflação de serviços, dentre eles a própria queda da inflação corrente, que reduz o efeito inercial sobre esses itens, e as projeções mais positivas para a atividade econômica, que elevam o risco de pressões mais persistentes nesse segmento. 

Assim, o Comitê de Política Monetária (Copom) entende que a contínua mensuração desses fatores é necessária para avaliar se a manutenção da taxa de juros por um período suficientemente prolongado será capaz de assegurar a convergência da inflação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.