Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (2 votes)

Copom analisa os riscos fiscais nas projeções da inflação

O Copom ponderou que os riscos fiscais continuam implicando um viés de alta nas projeções da inflação. Confira pontos relevantes!

De acordo com o Copom, em divulgação oficial do Banco Central, em relação ao cenário básico da inflação, que utiliza a trajetória para a taxa de juros extraída da pesquisa Focus, o câmbio seguindo a paridade do poder de compra e os preços de commodities em dólares estáveis em termos reais, as projeções de inflação estão ligeiramente acima da meta para 2022 e ao redor da meta para 2023. 

Copom analisa os riscos fiscais na alta das projeções da inflação

O Comitê ponderou que os riscos fiscais continuam implicando um viés de alta nas projeções. Assim sendo, essa assimetria no balanço de riscos afeta o grau apropriado de estímulo monetário, justificando assim uma trajetória para a política monetária mais contracionista do que a utilizada no cenário básico.

Diante desse resultado, o Banco Central informa que o Copom avaliou os custos e benefícios de acelerar o ritmo da elevação dos juros, fazendo as seguintes ponderações.

O estágio do ciclo de ajuste é caracterizado por uma política monetária 

Sendo assim, em primeiro lugar, o estágio do ciclo de ajuste é caracterizado por uma política monetária já efetivamente contracionista, o que é evidenciado quando se observa a diferença das expectativas para as trajetórias da taxa de juros e da inflação ao longo do horizonte relevante de política monetária. 

Simulações com trajetórias de elevação de juros que mantêm o ritmo atual de ajuste

Em segundo lugar, simulações com trajetórias de elevação de juros que mantêm o ritmo atual de ajuste, mas consideram diferentes taxas terminais, sugerem que o atual ritmo de ajuste é suficiente para atingir patamar significativamente contracionista e garantir a convergência da inflação para a meta em 2022, mesmo considerando a assimetria no balanço de riscos. 

O Copom analisa o peso de itens voláteis nas revisões das projeções de inflação de curto prazo 

Finalmente, de acordo com o BC, o peso de itens voláteis nas revisões das projeções de inflação de curto prazo e o ineditismo do processo de readequação econômica pós-pandemia reforçam o benefício de acumular mais informações sobre o estado da economia e a persistência dos choques em vigor.

Copom objetiva assegurar a convergência da inflação para as metas de 2022 e 2023

Assim sendo, o Copom concluiu que, neste momento, a manutenção do atual ritmo de ajuste associada ao aumento da magnitude do ciclo de ajuste da política monetária para patamar significativamente contracionista é a estratégia mais apropriada para assegurar a convergência da inflação para as metas de 2022 e 2023, dada a lenta recuperação da economia em vários setores.

5/5 - (2 votes)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.