Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Bolsa Pódio: Governo Federal abre vagas de benefício para atletas

Aqueles que possuem chance de ganhar medalhas poderão solicitar participação no programa.

Na última quarta-feira, dia 10 de novembro, o Governo Federal publicou um novo edital para o Programa Atleta Pódio. Isto é, trata-se de uma categoria mais alta dentro do Bolsa Atleta. Por esse motivo, o benefício se destina aos atletas com chances de ganhar medalhas em megaeventos.

Dessa maneira, Bruno Souza, secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério da Cidadania, falou sobre a importância do programa. “Temos certeza de que, mais uma vez, a Bolsa Pódio dará sua contribuição na preparação de nossos atletas para este novo ciclo olímpico e paralímpico e que o Brasil seguirá com ótimas participações nos Jogos” declarou o secretário.

Nesse sentido, a criação da categoria específica de Pódio ocorreu em 2013. Nesta época, o objetivo era incentivar atletas para os Jogos Rio 2016. Assim, o governo usou de um investimento de mais de R$ 74 milhões, atendendo 322 atletas. Em seguida, o governo também preparou novos atletas para as competições em Tóquio. Aqui, o programa chegou a 499 atletas com 1.209 bolsas e R$ 158 milhões de recursos.

Os valores do Bolsa Pódio não são fixos. Portanto, as bolsas variam entre R$ 5 mil e R$ 15 mil por mês. Estas quantias, então, chegam a atletas ou paratletas de modalidades individuais dentro dos 20 melhores do ranking mundial.

Atualmente, os recursos poderão dar um suporte no preparo para os Jogos de Verão em Paris no ano de 2024, bem como para os Jogos de Inverno, em Milão e Cortina d’Ampezzo, no ano de 2026.

Quem pode receber o Bolsa Pódio?

Antes de qualquer coisa, o atleta precisará de uma indicação das entidades nacionais de administração do desporto. Além disso, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) ou Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e a Secretaria Especial do Esporte também participarão das indicações. Assim, o envio destas deverá obedecer o prazo de até 31 de janeiro de 2022.

Em seguida, caso o atleta tenha sucesso com a indicação, a organização do programa irá notificá-lo. Então, serão apenas dez dias úteis para que ele realize um cadastro online e envie o Plano Esportivo. Este, por sua vez, é muito importante não apenas para que o atleta consiga entrar no programa, como para que continue nele.

Isto é, a cada ano, o participante receberá uma nova avaliação e, nesta hora, é importante cumprir o Plano Esportivo que enviou. Ademais, também será necessário se manter na lista de 20 melhores do mundo.

O Governo Federal irá divulgar quem ganhou a bolsa até 31 de março de 2022. Na última seleção do programa, houve um total de 7.248 atletas e paratletas dos quais 334 receberam o Bolsa Pódio.

Quais são os critérios de participação?

O edital do programa indica critérios específicos para a participação. Desse maneira, o candidato precisará usar o sistema do Bolsa Atleta para enviar provas de que:

  • Está em plena atividade esportiva.
  • Possui vínculo com uma entidade de prática esportiva ou a alguma entidade nacional de administração do desporto.
  • Recebeu a indicação das entidades nacionais de administração do desporto, Comitê Olímpico do Brasil (COB) ou Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e Secretaria Especial do Esporte.
  • Está ranqueado junto à entidade internacional relativa à sua modalidade, entre os vinte primeiros do mundo em sua prova específica. Contudo, é necessário estar presente no Programa de Provas Oficiais dos Jogos Olímpicos ou Paralímpicos vigentes, de verão ou de inverno, no momento que preencher e enviar o Plano Esportivo.
  • Recebe ou não qualquer tipo de patrocínio de pessoas jurídicas, públicas ou privadas. Neste caso, será necessário apresentar declaração com a quantia específica que recebe, além do período do contrato. Por fim, entende-se por patrocínio todo e qualquer valor pecuniário eventual ou regular que não o salário, assim como qualquer tipo de apoio em troca de divulgação de qualquer marca de produto ou serviço.

Como realizar a inscrição?

Desde o último ano, o Governo Federal digitalizou o processo de seleção do benefício. Por esse motivo, a inscrição do candidato deverá ocorrer apenas através do sistema Bolsa Atleta. É importante lembrar, portanto, que não se admitirá qualquer outra maneira de inscrição, inclusive de forma física.

Desse modo, o site estará disponível a partir de meia-noite de 11 de novembro de 2021 até às 23 horas e 59 minutos de 31 de janeiro de 2022. Para acessar o sistema basta clicar no seguinte link: https://bolsaatleta.cidadania.gov.br/.

Aqueles que ainda não possuem um cadastro no site deverão realizá-lo. Além disso, a fim de criar sua senha de acesso ao sistema e, em seguida, seguir com a indicação necessária, a entidade integrante do grupo de trabalho também deverá se cadastrar. Para tanto, é necessário:

  • Acessar www.gov.br
  • Procurar pela opção “Entrar”
  • Criar uma conta gov.br

Outra opção, ainda, seria a utilização do aplicativo de celular “meugov.br”.

Bolsa Pódio se monstra essencial para os atletas

De acordo com o Governo Federal, as bolsas que se destinam aos atletas mostram um grande retorno para o país. Nesse sentido, é possível analisar as Olimpíadas de Tóquio, na qual a delegação brasileira contava com mais de 80% de seus os integrantes como bolsistas. Além disso, o sucesso também se verifica no número de medalhas deste grupo. Isto é, de um total de 21 medalhas, 19 delas são de atletas que receberam o apoio do governo.

Indo adiante, as Paralimpíadas de Tóquio também tiveram um grande número de bolsistas na sua delegação, ou seja, 95%. Se tratando das medalhas, das 22 de ouro, 20 foram de bolsistas. Ademais, de um total de 20 medalhas de prata, 18 são de integrantes do programa. Por fim, o total de medalhas de bronze que o Brasil ganhou são de bolsistas.

Por esse motivo, o secretário Bruno Souza ressaltou mais uma vez a importância do programa. Ele indica, portanto, que “ Bolsa Atleta foi fundamental no último ciclo, em especial durante a pandemia, quando o mundo inteiro praticamente interrompeu as competições. A manutenção do pagamento foi essencial para que nossos atletas mantivessem a preparação”.

Por fim, o secretário se mostra otimista por um bom resultado nesta nova rodada. “Temos certeza de que, mais uma vez, a Bolsa Pódio dará sua contribuição na preparação de nossos atletas para este novo ciclo olímpico e paralímpico e que o Brasil seguirá com ótimas participações nos Jogos”, declarou o secretário.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.