Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial: Pagamento da 5ª parcela seguirá até a próxima semana

Devido ao curto prazo, a Caixa Econômica Federal está executando um cronograma intenso.

O pagamento da quinta parcela do auxílio emergencial foi iniciado na última semana e segue em distribuição até o dia 31 deste mês. Devido ao curto prazo, a Caixa Econômica Federal está executando um cronograma intenso.

Pagamento da 5ª parcela do auxílio emergencial

Após o encerramento do calendário de autorização de saques da quarta parcela do programa, imediatamente o Governo Federal deu início aos pagamentos da prorrogação do auxílio emergencial.

Já na última semana, os dois públicos atendidos pelo coronavoucher passaram a receber o benefício do quinto ciclo, sendo eles os segurados do Bolsa Família e os cidadãos que se inscreveram via canais digitais e CadÚnico no auxílio.

Vale ressaltar, que a distribuição é referente ao depósito nas contas poupanças sociais digitais do Caixa Tem. Lembrando que o benefício fica disponível automaticamente para saques para os segurados do BF e só depois de 20 a 30 dias para o público geral.

Calendário da 5ª parcela do auxílio emergencial

Para os Inscritos do Bolsa Família

Nº final do NIS 5ª parcela
NIS 1 18 de agosto
NIS 2 19 de agosto
NIS 3 20 de agosto
NIS 4 23 de agosto
NIS 5 24 de agosto
NIS 6 25 de agosto
NIS 7 26 de agosto
NIS 8 27 de agosto
NIS 9 30 de agosto
NIS 0 31 de agosto

 

Para o público geral

Mês de nascimento Depósito
Janeiro 20 de agosto
Fevereiro 21 de agosto
Março 21 de agosto
Abril 22 de agosto
Maio 24 de agosto
Junho 25 de agosto
Julho 26 de agosto
Agosto 27 de agosto
Setembro 28 de agosto
Outubro 28 de agosto
Novembro 29 de agosto
Dezembro 31 de agosto

 

Regras do auxílio emergencial

Conforme as regras determinadas na Medida Provisória (MP) que viabilizou o auxílio emergencial em 2021, para receber o benefício o cidadão precisa:

  • Ter renda mensal bruta familiar de até três salários mínimos (R$ 3.300), desde que a renda per capita mensal seja igual ou inferior a meio salário mínimo (R$ 550);
  • Ser o único cotista do programa no núcleo familiar;
  • Ter idade igual ou superior a 18 anos, exceto mães solteiras adolescentes;
  • Residir no Brasil;
  • Ter sido beneficiário do auxílio emergencial em 2020;

Veja também: Auxílio Emergencial: veja quando começam os saques da 5ª parcela

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.