Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio Emergencial: Fala polêmica de Paulo Guedes repercute no Congresso

Paulo Guedes disse que o Auxílio fez as pessoas se sentirem ricas. Muita gente dentro do Congresso Nacional não gostou nada dessa história

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, deu uma declaração polêmica nesta semana. Em entrevista, ele disse que o Auxílio Emergencial fez com que as pessoas se sentissem ricas. Ele disse ainda que o dinheiro teria sido suficiente para que os usuários comprassem casas. Mais de 24 horas depois da declaração, a repercussão segue grande no Congresso Nacional.

Ainda nesta quinta-feira (26), vários parlamentares foram até as suas redes sociais para criticar o Ministro. A maioria disse que Paulo Guedes não tinha noção da realidade dos fatos. E teve até político que desafiou o chefe da pasta da economia a viver com R$ 600 por mês no Brasil neste momento.

“Paulo Guedes chamou o auxílio emergencial de “transferência de riqueza”. Quero ver ele sobreviver com 600 reais em um mês aqui no Campo Limpo”, disse o político Guilherme Boulos (PSOL-SP). Ele fez uma referência a um bairro da cidade de São Paulo ao fazer o desafio para o Ministro da Economia.

“Paulo Guedes só tem uma qualidade: escancarar com essas frases nojentas como o desgoverno Bolsonaro despreza os pobres”, disse o Deputado Federal, Marcelo Freixo (PSB-RJ). De acordo com o parlamentar, o Ministro da Economia seria um “bueiro destampado” por causa das frases que costuma falar.

Dentro da própria base governista, membros do grupo político conhecido como Centrão também não gostaram da frase. De acordo com informações de bastidores, esses parlamentares afirmam que Paulo Guedes deveria tomar mais cuidado com o que fala às vésperas das próximas eleições presidenciais.

Auxílio Emergencial

De acordo com informações do Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial começou a ser pago no Brasil ainda no ano passado. Na ocasião, o programa atendeu algo em torno de 70 milhões de pessoas com pagamentos que variavam entre R$ 600 e R$ 1200.

Guedes disse que algumas famílias chegaram a ganhar uma base de R$ 1800 por mês. E isso é verdade. Algumas casas que são chefiadas por mulheres receberam esse valor durante os primeiros cinco meses de pagamentos.

No entanto, também é verdade que esse patamar de repasses atingiu apenas uma pequena parcela de beneficiários. Além disso, hoje a realidade é outra. Atualmente, de acordo com o próprio Ministério da Cidadania, as famílias estão recebendo no máximo R$ 375 por mês.

Paulo Guedes

De acordo com informações de bastidores, o Ministro da Economia está neste momento em uma queda de braço com outras áreas do Governo. É que ele quer manter o valor médio do novo Bolsa Família abaixo dos R$ 300.

Não é isso o que o Centrão quer neste momento. Este grupo político, aliás, está pressionando o Presidente Jair Bolsonaro para que ele aprove um novo Bolsa Família com valor médio de R$ 400. Esse cenário ainda é possível.

De acordo com o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), não há a menor chance de um Bolsa Família de R$ 400 passar no Congresso. Segundo ele, o projeto vai girar em torno dos R$ 300 mesmo, como Paulo Guedes quer.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.