Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio Brasil: entenda a diferença entre adicional complementar e retroativo

Muita gente ainda não sabe que o Auxílio Brasil vai ter dois tipos de adicionais. Veja quem pode receber cada um deles

O Governo Federal deve começar dentro de mais alguns dias os pagamentos de janeiro do Auxílio Brasil. Dessa vez, o número de usuários do programa deverá subir dos atuais 14,5 milhões para algo em torno de 18 milhões de pessoas. Mesmo com a proximidade dos repasses, muitas dúvidas ainda circulam por aí.

Uma das maiores confusões que as pessoas fazem é sobre a questão dos pagamentos dos adicionais complementares e retroativos do Auxílio Brasil. Alguns usuários até tratam os dois como se fossem a mesma coisa, mas isso não é verdade. Eles são pontos com funções diferentes dentro do benefício.

Benefício Complementar

O adicional complementar é um dinheiro que vai para pessoas que estão dentro do Auxílio Brasil e que recebem menos de R$ 400. Ele está sendo pago através de uma Medida Provisória (MP) que garante esses repasse até o final do ano de 2022. A ideia aqui é que esse valor seja o montante que sirva para completar os R$ 400.

Por exemplo, quem recebe R$ 200 de Auxílio Brasil, vai receber um benefício complementar de R$ 200 para que ele chegue nos R$ 400 mínimos. Do mesmo modo, quem recebe R$ 100, passa a receber mais R$ 300 de complementar. Isso, como dito, vai valer até o final deste ano de 2022.

Benefício retroativo

Já o benefício retroativo do Auxílio Brasil é um dinheiro que também vai para as pessoas que receberam menos de R$ 400. Mas isso só toma como base os repasses de novembro. Então o direito vai apenas para os usuários que já estavam no programa nessa época. E o montante, aliás, tem apenas uma parcela de liberação.

Ao contrário do benefício complementar, que já está garantido até o final de 2022, o retroativo não está confirmado. Mas apesar das promessas do Governo Federal, o fato é que o Ministério da Cidadania disse que não há nenhuma lei que os obrigue a pagar isso nesse momento. Então há uma grande chance de que isso não saia do papel.

Retroativo do Auxílio Emergencial

Ainda há uma outra confusão que as pessoas fazem neste sentido. É portanto sobre o retroativo do Auxílio Emergencial. É importante, aliás, deixar claro que esse benefício é um terceiro ponto de pagamento. Pelo menos é isso o que se sabe.

De acordo com as informações oficiais, esse é um dinheiro que deve ir para os pais solteiros que estavam no Auxílio Emergencial recebendo R$ 600 ainda no início do ano de 2020. É o que diz o Ministério da Cidadania.

Esse benefício, aliás, já está garantido. O próprio presidente Jair Bolsonaro já assinou a Medida Provisória (MP) que libera R$ 1,4 bilhão para esses repasses para esses pais solteiros. Agora só falta saber quando ele vai chegar no bolso dos brasileiros.

Resumo dos auxílios

Benefício: complementar do Auxílio Brasil
Quem recebe: pessoas que recebem menos de R$ 400 no programa
Quando vai ser pago: entre dezembro de 2021 e dezembro de 2022
Está confirmado?: Sim
Qual é o valor?: o montante que falta para completar os R$ 400.

Benefício: retroativo do Auxílio Brasil
Quem recebe: pessoas que receberam menos de R$ 400 em novembro de 2021
Quando vai ser pago: não se sabe
Está confirmado?: não
Qual é o valor?: o montante que falta para completar os R$ 400

Benefício: retroativo do Auxílio Emergencial
Quem recebe: pais solteiros que receberam R$ 600 no início de 2020
Quando vai ser pago: não se sabe
Está confirmado?: sim
Qual é o valor?: o montante que falta para completar o R$ 1,2 mil nos primeiros 5 meses do programa.

Benefício: retroativo do vale-gás nacional
Quem recebe: pessoas que não receberam nada em dezembro
Quando vai ser pago: janeiro
Está confirmado?: sim
Qual é o valor?: R$ 52

Avalie o Texto.
1 comentário
  1. Ana Gorete Antunes da Silva Diz

    Sou mãe separada a mais de 20 anos, estou com 63 anos e não estou conseguindo me aposentar, meu processo da aposentadoria, está na justiça,a 12 anos,o INSS, sempre indeferio, estou muito doente e não tenho nem um recurso financeiro, além de estar bem doente, com sérios diagnóstico, sobre a minha saúde, tenho uma filha acamada, com esclerose multipla, é dessa forma que nós estamos vivendo, só com a aposentadoria, que ela recebe, ainda está defasado,e mais. Está sendo descontado,do benefício dela, mais de $100,00 pôr mês , não tenho recursos financeiro, nem pra levar ela no neurologista, já faz cinco anos, que ela não faz retorno médico,apartir,do mês de abril está sujeito, ela ficar sem o tratamento, pois não tenho quem nós ajude, minha mãe, também está acamada,a mais de 15 anos, era quem mesmo com o salário mínimo, nós ajudava, agora espero a ajuda de vocês. Estamos sem qualidade de vida, pôr favor,se eu for atendida, agradeço de coração.

    .

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.