Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio BEm não deve passar por prorrogação, prevê Governo

De acordo com membros do Palácio do Planalto o Auxílio BEm não deve passar por uma prorrogação nos próximos meses

O Auxílio BEm, do Governo Federal, não deve passar por uma prorrogação. Pelo menos foi isso o que disse o Secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco. Ele falou isso em uma entrevista para jornalistas ainda nesta quinta-feira (22). Ele deu detalhes sobre o assunto.

Para quem não sabe, o Auxílio BEm é aquele que permite a negociação de uma redução da jornada de trabalho e do salário. Além disso, o projeto também permite a suspensão temporária de trabalho. O benefício em questão funcionou durante vários meses do ano passado e retornou agora em 2021.

De acordo com Bianco, os pedidos para a entrada no programa este ano são notadamente menores do que aqueles que se viu em 2020. Além disso, ele afirmou que as solicitações estão diminuindo gradativamente. Tudo isso está fazendo o Governo Federal decidir não prorrogar o projeto em questão.

“Eu não vejo, o governo não vê, necessidade de prorrogação”, disse Bianco. “Se necessário, levaremos esta necessidade ao ministro (da Economia, Paulo Guedes) e também ao presidente da República (Jair Bolsonaro)”, admitiu ele considerando que essa decisão pode mudar no decorrer dos próximos meses.

Caso o programa não passe por uma prorrogação, então seguiriam valendo as regras de duração atuais. De acordo com o projeto, o Auxílio tem duração máxima de quatro meses, com possibilidade de adição de tempo. Isso quer dizer portanto que o benefício só terá mais alguns meses de duração.

“Investimento em emprego”

Ainda de acordo com o Secretário Bruno Bianco, a ordem de dentro do Governo Federal é investir pesado na questão da geração de emprego. De acordo com ele, se as pessoas conseguirem trabalho fixo não precisariam mais de auxílios do estado.

“Estamos trabalhando de maneira efetiva nas políticas ativas de emprego, com um público mais vulnerável, que são os jovens, na qualificação no trabalho e com políticas que evitem demissões e privilegiam a todos que ajudam a não demitir”, acrescentou o secretário”, disse ele.

É portanto um discurso afinado com o Ministro da Economia. Paulo Guedes vem dizendo há meses que a sua ideia é fazer com que a as pessoas consigam emprego. Assim, ainda na visão dele, tudo poderia voltar ao normal.

Prorrogação

Se o programa BEm não vai ser prorrogado, o mesmo não se pode dizer do Auxílio Emergencial. De acordo com o próprio Governo Federal, o projeto vai ganhar mais três meses de duração e vai se aproximar do final deste ano.

Inicialmente a ideia do Palácio do Planalto era pagar o benefício até o próximo mês de julho. Agora, com esse novo entendimento, o projeto deve seguir fazendo repasses até, pelo menos, o próximo mês de outubro.

Logo depois disso, o plano do Governo é colocar o novo Bolsa Família em ação. A questão é que eles ainda não bateram o martelo sobre uma série de pontos do programa, como a questão do valor médio de pagamentos e a quantidade de beneficiários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.