Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Atualidades: veja os impactos da plasticultura

Apesar de proporcionar benefícios, a prática agrícola tem consequências negativas

Infelizmente, os benefícios ambientais potenciais da plasticultura são frequentemente superados por impactos ambientais adversos, como emissões de gases de efeito estufa, contaminação do solo, água, ar e alimentos, e a geração de enormes quantidades de resíduos plásticos.

Resíduos plásticos

Talvez nenhum lugar ilustre melhor os benefícios e consequências da plasticultura do que as extensas estufas de Almería, no sul da Espanha, um dos lugares mais secos da Europa.

Essas operações agrícolas intensivas protegem as safras do vento, enquanto os sistemas de irrigação altamente controlados ajudam a conservar a água e prevenir a evaporação.

Aqui, a plasticultura aumentou dramaticamente os rendimentos das colheitas e transformou a economia local. Enormes estufas de plástico cobrem a paisagem árida, produzindo grandes quantidades de frutas e vegetais.

Embora a Espanha possa ter a maior concentração de estufas de plástico, ainda está muito longe da China em termos de volume. As estufas de plástico proliferaram na China desde sua introdução na década de 1970, e o país agora possui cerca de 90% das estufas de plástico em todo o mundo.

Um filme plástico agrícola como o usado para cobertura morta aumentou significativamente os rendimentos das safras chinesas, mas sua crescente pegada de poluição começou a reverter a produtividade .

Os plásticos agrícolas não reciclados constituem um enorme volume de lixo que cria mais riscos ambientais quando são enterrados, queimados ou despejados em aterros sanitários.

Esta é uma preocupação particular nos países em desenvolvimento que carecem de uma infraestrutura adequada de gestão de resíduos, mas um enorme dilema também para os países desenvolvidos.

Milhões de toneladas de filmes plásticos são usados ??nos Estados Unidos a cada ano para cobertura morta, coberturas de fileiras, coberturas de estufas – e isso não inclui plásticos usados ??em tubos de irrigação, tubos, embalagens e armazenamento.

Impactos climáticos

Um estudo de estufas de plástico na China descobriu que elas estavam associadas a maiores emissões de gases de efeito estufa que alteram o clima, como dióxido de carbono e óxido nitroso, que também é responsável pela poluição do ar por contribuir para partículas e ozônio.

Os plásticos convencionais são produtos à base de petróleo feitos de combustíveis fósseis. Além de bombear gases de efeito estufa que alteram o clima na atmosfera, o processo de fabricação de plásticos gera poluição do ar e da água que pode afetar os trabalhadores e as comunidades próximas.

Microplásticos

Outra preocupação emergente envolve o quanto a plasticultura pode estar contribuindo para a presença de microplásticos no solo e na água.

A película fina de cobertura morta, em particular, está sujeita a se deteriorar em pequenos pedaços de plástico, o que pode afetar a qualidade do solo, impactando micróbios e outras criaturas que vivem no solo. As partículas de plástico são lançadas nas águas superficiais e, em última análise, nos oceanos pela chuva e irrigação, e também podem ser absorvidas pelas plantas, terminando potencialmente no sistema alimentar.

Uma série de estudos recentes detectou microplásticos em rios e oceanos, peixes, crustáceos e dejetos humanos, este último indicando que as pessoas estão ingerindo quantidades significativas de microplástico. Revelar a contribuição da plasticultura para este problema é uma área de pesquisa emergente.

Além disso, a queima do plástico emite poluentes ambientais persistentes conhecidos como dioxinas, enquanto o enterro ou envio do plástico para aterros sanitários leva à lixiviação.

E embora as safras cultivadas em estufas de plástico possam exigir menos pesticidas, o fato de que as estufas podem estender as temporadas de cultivo e permitir colheitas adicionais significa que muitas vezes são o local de maior concentração de fertilizantes e uso de pesticidas.

Esses pesticidas e fertilizantes podem infiltrar-se no solo, acidificando-o e poluindo as águas subterrâneas.

Além disso, aditivos químicos em plásticos podem se acumular no solo, com impactos ainda desconhecidos em nossos alimentos e água. Um estudo de 2019 descobriu que a cobertura morta de plástico aumentou significativamente o acúmulo de ésteres de plastificantes em grãos de trigo e seus solos em concentrações.

E então, gostou de entender melhor sobre o assunto?

Não deixe de ler também – Atualidades: O que você precisa saber sobre bioplásticos

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.