Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Angela Merkel sofre derrota em eleições municipais

A atual chanceler Angela Merkel, da Alemanha, acaba de sofrer derrotas nas eleições regionais do país europeu. A sigla União Democrata Cristã (CDU) foi derrotada no primeiro teste antes das eleições nacionais, que definirão o novo parlamento alemão.

Os resultados evidenciam o impacto de recentes escândalos políticos e da lentidão na campanha de vacinação na opinião pública. Angela Merkel, da centro-direita, tenderá a deixar o poder se o caminho se mantiver.

Segundo projeções do canal ZDF, a CDU teve o pior desempenho de sua história nos estados de Baden-Württemberg e Renânia-Palatinado, conquistando respectivamente 23,4% e 26,9% dos votos. Em comparação com 2016, o partido teve uma queda de 3,6 e 4,9 pontos percentuais.

Em Baden-Württemberg, o popular premier estadual Winfried Kretschmann, único ambientalista a comandar uma região alemã, terá um terceiro mandato após o Partido Verde conquistar 31,4% dos votos, em seu melhor resultado regional já registrado. Na vizinha Renânia-Palatinado, onde a CDU liderava as pesquisas de opinião até o mês passado, o Partido Social-Democrata (SPD), de centro-esquerda, venceu com 35,5%, reelegendo Malu Dreyer.

Com desempenho inferior ao de anos anteriores, refletindo sua queda de popularidade no âmbito nacional, a sigla de extrema direita Aliança para a Alemanha apareceu como a quinta força em Baden-Württemberg, com 11,5% dos votos, atrás dos verdes, da CDU, do SPD e do Partido Democrático Liberal (FDP). Na Renânia-Palatinado teve 10,5% dos votos, atrás do SPD, da CDU e do Partido Verde.

Os pleitos inauguram o “superano eleitoral” alemão, marcado por seis eleições regionais antes da população ir às urnas em 26 de setembro para escolher o novo Parlamento nacional e, consequentemente, o sucessor de Angela Merkel. À frente da principal economia europeia desde 2005, a chanceler anunciou há três anos que não buscaria novamente a reeleição, lançando uma corrida interna para sua sucessão.

Leia ainda: Eduardo Pazuello pede para sair do governo

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.