Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Aliados avaliam que novo Bolsa Família vai ajudar a reeleger Bolsonaro

O Governo Federal quer apostar pesado na construção do novo Bolsa Família para este segundo semestre. E há um motivo para isso. De acordo com aliados do Palácio do Planalto, este é o projeto que pode ajudar a reeleger o Presidente Jair Bolsonaro no próximo ano.

Segundo levantamento do Instituto Datafolha, o chefe do executivo está vivendo neste momento o seu pior período na presidência da república quando o assunto é aprovação popular. É portanto o menor nível desde que ele chegou ao poder em 2019.

Esse número de aprovação chegou a ser bem mais alto em meados de 2020, na mesma época em que o Governo estava pagando o Auxílio Emergencial de R$ 600. Os pagamentos do benefício voltaram no último mês de março, mas a popularidade do Presidente não voltou a subir.

De acordo com informações da emissora CNN Brasil, aliados do chefe do executivo acreditam que tudo isso deve mudar ainda no segundo semestre deste ano. É que eles acreditam que o programa vai conseguir fazer a popularidade do país aumentar novamente.

O Governo Federal afirma que o Bolsa Família vai passar por uma espécie de reformulação. Até aqui, não se sabe muitos detalhes sobre o projeto. No entanto, uma coisa é certa: o benefício vai ficar maior em quase todos os sentidos possíveis.

Novo Bolsa Família

De acordo com informações de bastidores, o Bolsa Família atual está pagando uma média de R$ 190 para cerca de 14,7 milhões de brasileiros. Uma boa parte dessas pessoas está recebendo neste momento o Auxílio Emergencial, mas quando esse programa acabar, eles voltam para o projeto antigo.

O objetivo do Governo Federal é subir a média de pagamentos do benefício para cerca de R$ 300. Isso significa dizer portanto que uma parte das pessoas receberiam um pouco mais do que isso, e outra parte um pouco menos. Pelo menos esse é o desejo do Presidente Jair Bolsonaro.

O número de beneficiários também deve aumentar, mas quanto a isto ainda não há uma clareza dentro do Governo Federal. O Presidente estaria querendo colocar mais cerca de 13 milhões de pessoas, mas o Ministério da Economia acredita que esse número é muito alto. Eles ainda não se decidiram sobre esse ponto.

Teto de gastos

O fato é que o Governo Federal tem um dilema para resolver. Aumentar muito o Bolsa Família pode fazer com que eles acabem furando o teto de gastos. Por outro lado, se eles não aumentarem muito pode ser que o Presidente Bolsonaro acabe não se beneficiando politicamente falando.

Dentro do Palácio do Planalto, há a ideia de que Bolsonaro quer subir mais os valores, enquanto a equipe do Ministério da Economia prefere ter mais cuidado quanto a isso. É justamente por isso que eles ainda não tomaram uma decisão final sobre isso.

Recentemente, o ex-Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, chegou a comparar o atual Presidente com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2014. De acordo com o deputado, os dois políticos estariam cometendo o “mesmo erro” de aumentar o valor dos programas sociais pensando nas eleições.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.