Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Abono salarial do PIS pode ser liberado em duas parcelas em 2022

A decisão foi tomada visando um reajuste fiscal, o que gerou uma economia de R$ 10 bilhões aos cofres públicos

Os trabalhadores que receberiam o abono PIS/Pasep este, ano referente a 2020, só receberão o benefício no ano que vem. Isso porque, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) decidiu adiar o calendário do projeto.

A decisão foi tomada visando um reajuste fiscal, o que gerou uma economia de R$ 10 bilhões aos cofres públicos, uma vez que o abono tem um orçamento de R$ 20 bilhões, sendo pagos 10 bilhões de julho a dezembro e mais R$ 10 bilhões de janeiro a junho, quando é encerrado o cronograma de pagamentos.

Pagamento do abono adiado

Normalmente, o calendário de pagamentos do abono salarial PIS/Pasep começa em um ano e termina em outro. Da mesma forma aconteceria com o benefício previsto de 2020, que começaria entre julho de 2021 a junho de 2022.

Além de adiar o pagamento do PIS/Pasep 2020, o Codefat decidiu que o abono salarial será pago sempre no primeiro semestre de cada ano. A previsão, é que o benefício seja liberado a partir do mês de fevereiro de 2022.

No que se refere aos valores do abono salario, a quantia máxima é de um salário mínimo em vigência, podendo variar conforme o número de meses trabalhados pelo cidadão no ano-base.

Porém, além de ter trabalhado ao menos 30 dias de carteira assinada no ano-base, o trabalhador precisa estar inscrito há pelo menos 5 anos no sistema do Governo, bem como ter recebido na ocasião uma média de até dois salários mínimo.

Pagamento dobrado

Até o momento, o Governo Federal não se posicionou sobre a possibilidade de realizar dois pagamentos no mesmo ano, tendo em vista que um foi realocado no mesmo ano que outro deveria ser liberado.

Neste sentido, a expectativa é que tanto o abono salarial 2020 quanto o de 2021 sejam pagos em 2022. Porém, como mencionado, não há nenhuma confirmação por parte do Executivo, que afirma apenas o pagamento do abono salarial de 2020 no próximo ano.

Perdeu o prazo de sacar o PIS/Pasep este ano? Saiba como resgatar retroativo

Se você, trabalhador, perdeu o prazo de sacar o seu abono PIS/Pasep ano-base 2019, saiba que poderá ainda resgatar o seu benefício. Os valores do abono salarial estavam disponíveis para saque até o dia 30 de junho, porém, muitos trabalhadores deixaram de pegar a quantia.

Diante disso, conforme a Resolução 838, do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), publicada em 24 de setembro de 2019, o cidadão tem direito de solicitar seu benefício em até 5 anos após a liberação.

No entanto, para isto é necessário aguardar um novo período de pagamentos do PIS/Pasep. Considerando que este ano o Governo Federal não vai liberar o abono referente a 2020, os trabalhadores que deixaram de sacar o benefício no prazo determinado, terão que aguardar os pagamentos de 2022 para solicitar o benefício anterior.

Para ter acesso abono salarial de maneira retroativa, o trabalhador precisa verificar como ocorre o procedimento na instituição financeira em que recebe o benefício. Para quem é servidor público, beneficiário do Pasep, o Banco do Brasil recomenda que entre em contato com o “Alô Trabalhador”, no telefone 158.

Já para quem é trabalhador de iniciativa privada, contemplado do PIS, precisa entrar em contato com a Caixa Econômica Federal através do 0800-726-0207.

Qual o valor do abono salarial?

O valor distribuído pelo PIS/Pasep varia de acordo com o tempo em que o cidadão trabalhou com a carteira assinada no ano-base. Segundo o salário mínimo em vigência, quem trabalhou 30 dias no ano competente, recebe o valor mínimo de R$ 92, já quem trabalhou os 12 meses do ano anterior, recebe o abono máximo de R$ 1.100 (piso nacional atual).

Veja a tabelas com a projeções abaixo:

Proporção Valor
1 mês trabalhado R$ 92,00
2 meses trabalhados R$ 184,00
3 meses trabalhados R$ 275,00
4 meses trabalhados R$ 367,00
5 meses trabalhados R$ 459,00
6 meses trabalhados R$ 550,00
7 meses trabalhados R$ 642,00
8 meses trabalhados R$ 734,00
9 meses trabalhados R$ 825,00
10 meses trabalhados R$ 917,00
11 meses trabalhados R$ 1.009,00
12 meses trabalhados R$ 1.100,00

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
9 Comentários
  1. Fátima Lemos Diz

    PURA VERDADE QUEM TRABALHA NAO TEM DIREITO A NADA SE VOCÊ NUMCA CONTRIBUI PRA PREVIDÊNCIA VOCE SE APOSENTA MAS RÁPIDO DO QUÊ QUEM TRABALHOU A VIDA TODA

  2. Fátima Lemos Diz

    Ganha quem tem direito e Bolsonaro não é satanás vai estudar e saber quem foi o presidente que tirou os direitos dos trabalhadores

  3. María Eliene Meneses de oliveira Diz

    Nesse país só tem direito quem não trabalha, é incrível como os trabalhadores ficam sempre em último plano , por isso só aumenta a vagabundagem.

  4. Danielle Diz

    Ou seja nós trouxas vamos perder um,pq não vão pagar os dois ano que vem.Vai pagar um só que é o do ano mesmo,o desse ano garfaram .

  5. cicero jose da silva Diz

    Você que votou no satanaro, vote nele de novo e continue tomando no simbolo do cobre!

  6. Zeus Diz

    Trabalhei o ano de 2019 todo e não recebi meu PIS…

  7. Eduardo Diz

    Consulta do pis

  8. SILVANA YENY SANTANA Diz

    Que miseria ese governo tá loco

  9. Francisco Diz

    esse já era .deve fazer igual a Dilma fez.passou a mão no direito do trabalhadou

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.