Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

3.1/5 - (11 votes)

14º salário para pagamentos é aprovado mais uma vez

Vale ressaltar que o documento ganhou uma emenda que determina o pagamento do novo benefício até 2023.

A proposta que cria o pagamento de um 14º salário para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foi aprovada pela Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados na última quarta-feira (24).

Veja também: INSS espera que fila de 1,8 milhão de brasileiros se regularize em janeiro 

Agora, o texto seguirá para apreciação e votação na última Comissão, sendo ela a de Constituição e Justiça e de Cidadania, para que enfim ser aprovado na Câmara dos Deputados. Vale ressaltar que o documento ganhou uma emenda que determina o pagamento do novo benefício até 2023.

Quem terá direito ao 14º salário do INSS?

Caso a proposta seja aprovada, os segurados do INSS que recebem os seguintes benefícios terão direito ao 14º salário:

  • Aposentadorias;
  • Pensão por Morte;
  • Auxílio-doença;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio-reclusão.

O novo abono extra deve causar um impacto de R$ 40 bilhões referente a 2020 e, de R$ 42 bilhões para 2021.

Liberação do 14º salário do INSS

O Projeto de Lei (PL) 4367/20, que trata da liberação do 14º salário aos segurados do INSS, é de autoria do deputado Pompeo de Mattos. O relator é o deputado Fábio Mitidieri, que defende a aprovação da proposta.

Quem terá direito ao 14° salário do INSS?

Um dos motivos para a criação do benefício foi a antecipação do 13º salário. Desta forma, receberão o abono os mesmos segurados que receberam o benefício natalino, sendo:

  • Aposentados;
  • Pensionistas;
  • Beneficiários do auxílio-doença;
  • Beneficiários do auxílio-reclusão;
  • Beneficiários do auxílio-creche.

Em contrapartida, não terão acesso ao possível 14º salário:

  • Inscritos nos programas Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • Beneficiários da pensão mensal vitalícia;
  • Beneficiários do auxílio suplementar por acidente de trabalho e amparo previdenciário por invalidez do trabalhador rural.

Pagamento de R$1.100 para quem nunca contribuiu

Muitos brasileiros têm dúvidas sobre o recebimento do benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) mesmo sem contribuir com a Previdência Social.

Para os cidadãos que nunca contribuíram, o INSS concede um benefício, o chamado Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social, mais conhecido como BPC/LOAS.

Entretanto, embora seja distribuído pelo INSS, o BPC/LOAS não é uma aposentadoria, e sim de um benefício assistencial, uma vez que para receber uma aposentadoria teria que haver contribuição antecedente.

O benefício pode ser liberado para cidadãos que se enquadram nos critérios de concessão, como possuir idade superior a 65 anos, ser um deficiente e possuir baixa renda financeira.

No que se refere ao valor do BPC/LOAS, é de um salário mínimo vigente, o que viabiliza a assistência até para quem nunca contribuiu com o INSS.

Critérios para concessão do BPC/LOAS

Para receber o benefício, os cidadãos devem se enquadrar em cinco requisitos estabelecidos pelo INSS:

  • Ter no mínimo 65 anos de idade;
  • Ser natural do Brasil ou de Portugal;
  • Ter renda familiar per capita igual ou inferior a ¼ do salário mínimo;
  • Ser inscrito no CadÚnico;
  • Ter CPF, bem como seus familiares.
3.1/5 - (11 votes)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

1 comentário
  1. Luzimar Diz

    Eu também não darei o meu voto,samos excluidos eles também serão

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.