Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Vaga de emprego: Experiência, formação, habilidades; veja fatores que mais influenciam

De acordo com um estudo, experiência profissional e as habilidades técnicas foram os fatores que mais contaram na hora de conseguir uma vaga de emprego.

Os dados são do Gupy, uma empresa de recrutamento que usa tecnologia e o oferece uma plataforma para diversas empresas.

Veja abaixo quais os principais requisitos levados em consideração em cada setor:

Vaga de emprego de Saúde

  • Experiência Profissional: 26,52%
  • Testes de habilidades técnicas: 20,64%
  • Nível de formação: 10,26%
  • Indicação (de outro funcionário): 6,82%
  • Habilidades Comportamentais: 3,51%

 

Varejo

  • Experiência Profissional: 25,87%
  • Sentido geral do currículo: 17,31%
  • Testes de habilidades técnicas: 13,36%
  • Nível de formação: 11,06%
  • Habilidades Comportamentais: 5,99%

 

Tecnologia da informação

  • Experiência Profissional: 23,54%
  • Cursos livres e Habilidades: 18,34%
  • Testes de habilidades técnicas: 14,46%
  • Formação: 12,06%
  • Idiomas: 5,20%

 

Telecomunicações

  • Testes de habilidades técnicas: 25,35%
  • Experiência Profissional: 20,55%
  • Sentido geral do currículo: 15,72%
  • Formação: 10,58%
  • Habilidades Comportamentais: 4,04%

 

Agronegócio

  • Habilidades Técnicas: 24,57%
  • Formação: 22,68%
  • Experiência Profissional: 21,57%
  • Distância: 12,44%
  • Testes de habilidades técnicas: 4,95%

 

Entenda as vagas de emprego e contratações

A CEO da Gupy, Mariana Dias, aponta que a vaga de emprego no setor de saúde a experiência é importante justamente por lidar com vidas.

Já na área de telecomunicação o requisito técnico é fundamental e agronegócio de acordo com a formação do candidato

Já o setor de tecnologia dá destaque para formações alternativas devido a necessidade de atualização constante que a profissão pede.

“Está cada vez mais claro que, independente do nível de formação ou da universidade em que estudou, a formação profissional já não é um diferencial tão competitivo frente às experiências vividas pelos profissionais. É importante frisar que, quando falamos de experiências, não se trata apenas de carreiras lineares, na mesma área de atuação. A atuação em outras áreas e até mesmo em trabalhos voluntários também são importantes, pois ajudam os profissionais a desenvolverem diferentes habilidades técnicas e comportamentais, a soft skills, que podem servir para diferentes áreas de atuação”, afirma.

Veja também uma análise vagas de emprego X  tamanho de empresa

Grandes empresas

  • Testes técnicos: 26,03%
  • Experiência Profissional: 20,50%
  • Cursos livres e Habilidades): 14,86%
  • Formação: 10,07%

 

Médias empresas

  • Experiência Profissional: 22,74%
  • Testes técnicos: 22,09%
  • Cursos livres e Habilidades: 15,32%
  • Formação: 11,10%

 

Pequenas empresas

  • Experiência Profissional: 24,87%
  • Testes técnicos: 23%
  • Cursos livres e Habilidades: 14,86%
  • Formação: 11,71%
  • Distância: 7,54%
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.