Troca do RG para a nova versão: veja as situações onde a mudança é OBRIGATÓRIA

Troca do RG para a nova versão: veja as situações onde a mudança é OBRIGATÓRIA

Saiba o prazo limite para a troca do documento

Tem acompanhado movimentações a respeito da troca do RG (Registro Geral), mas ainda é um tema confuso para você? Então, chegou ao lugar certo!

Afinal, por aqui iremos apresentar os esclarecimentos a respeito do documento e, principalmente, destacar quem precisa realizar a mudança de forma obrigatória.

Boa leitura!

Troca do RG

Em resumo, toda essa mobilização em torno da troca do RG é para a aplicação de mais segurança, e consequentemente, proporcionar um menor número de fraudes nos documentos pessoais.

Na prática, a alteração primordial na troca do RG é a vinculação do número do Registro Geral ao CPF (Cadastro de Pessoa Física), estabelecendo uma identificação unificada para cada cidadão.

Então, a nova abordagem facilita a verificação da identidade e simplifica os processos administrativos.

O que tem de novo?

A troca do RG implementa tecnologias modernas para aprimorar a autenticidade e segurança do documento.

No primeiro modelo, uma mesma pessoa poderia ter 27 versões diferentes do documento, cada uma com um número diferente. Na atual versão do novo RG, não há um número próprio. O documento utiliza o número do CPF para identificar o cidadão.

Inclusive, um dos recursos mais destacados é o QR Code, que permite a checagem dos dados do portador de maneira rápida e eficaz.

Ainda mais, outro ponto é o uso da tecnologia blockchain, que oferece uma camada extra de segurança ao garantir a integridade das informações armazenadas. Isso confere ao novo RG uma confiabilidade significativamente maior, reduzindo o risco de fraudes e falsificações.

Qual o prazo para efetuar a troca do RG?

Não é preciso ter pressa! Isso porque o processo de troca do RG segue até 2032, quando novas regras para a validade do documento entram em vigor.

Além disso, a emissão da primeira via é gratuita, com validade variável conforme a faixa etária:

  • Cinco anos para menores de 12 anos;
  • Dez anos entre 12 e 60 anos;
  • Tempo indeterminado para pessoas acima de 60 anos.

Cabe orientar que os cidadãos podem acessar a versão digital do RG pelo site do Gov.br.

No entanto, para obter o documento físico, é preciso agendar uma visita ao órgão de identificação do estado.

Por fim, é importante ressaltar que quem perder a carteira de identidade atual e precisar tirar a segunda via, por exemplo, fica obrigado a arcar com uma taxa simbólica de emissão a ser definida por cada unidade federativa.

Como providenciar o documento?

Para solicitar a troca do RG, basta ir ao órgão emissor da sua cidade e apresentar a certidão de nascimento ou casamento. Afinal, não é possível fazer a troca do RG pelo celular.

Contudo, depois da etapa de emissão presencial do documento, o cidadão consegue ter acesso à versão digital.

Ela pode ser acessada pelo aplicativo RG Digital do estado em que você emitiu o documento, a partir da leitura do QR Code no verso da versão física.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.