Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

4.4/5 - (18 votes)

Salário mínimo de R$ 1.200 pode ser confirmado para 2022

O reajuste no salário mínimo afeta diretamente alguns benefícios, como os abonos liberados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e também o PIS/Pasep.

O salário mínimo de 2022 recebeu uma nova previsão. Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), este ano será encerrado com a inflação em 9,1%. Desta forma, o piso nacional passará da projeção de R$ 1.192 para R$ 1.200.

Veja também: CAIXA libera de de R$300 até R$1.000 via celular nesta segunda

O reajuste no salário mínimo afeta diretamente alguns benefícios, como os abonos liberados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e também o PIS/Pasep. A correção do piso nacional é realizada para manter o poder de compra dos cidadãos assalariados.

Benefícios do INSS

Caso o salário mínimo de R$ 1.200 seja confirmado, os valores de benefícios como aposentadorias, pensões e auxílio-doença, por exemplo, serão corrigidos. Acontece que o órgão não pode conceder um abono que tenha um valor inferior ao salário mínimo em vigência.

Desta forma, os segurados que recebem o abono básico do INSS deverão receber a partir de janeiro do próximo ano, uma mensalidade igual a R$ 1.200. Vale ressaltar que a regra também se aplica aos cidadãos que ganham o Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas).

Determinação do salário mínimo

Segundo a Constituição brasileira, o salário mínimo deve ser definido com base no INPC do ano anterior. O valor do piso de 2021, equivalente a R$ 1.100, não contempla a inflação atingida em 2020, igual a 5,45%.

Neste sentido, salário mínimo de 2021 teria que ser R$ 1.101,95, para conseguir manter o poder de compra dos talhadores brasileiros, o que já uma redução em comparação aos pisos definidos entre os anos de 2011 e 2019.

Isso porque, durante este período, o salário mínimo era determinado pelo INPC e também tinha como base o Produto Interno Bruto (PIB), o que permitia ao trabalhador uma quantia um pouco maior do que a determinada para o seu poder de compra.

Porém, desde o início do Governo Bolsonaro, o piso nacional vem sendo corrigido sem ganhos reais, sendo levado em consideração apenas os índices de inflação.

4.4/5 - (18 votes)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.