Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

SAIBA como voltar a receber o auxílio de R$ 600 ou R$300 com ESTE novo passo a passo

Os beneficiários do programa Bolsa Família que tiveram o pagamento do auxílio emergencial (R$600 ou R$300) cancelado poderá realizar a contestação do corte ao Governo. De acordo com o Ministério da Cidadania, pasta que gerencia os cadastros e pagamentos, o pedido de revisão será aceito até a próxima segunda-feira, 30 de novembro.

De acordo com o Governo, quem não estiver no programa Bolsa Família, como, por exemplo, inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e também o público fora dele, que receberam as cinco parcelas do auxílio de R$ 600 e foram considerados inelegíveis para as parcelas restantes, têm até o dia 29 de novembro para fazer a contestação.

Como contestar?

Para realizar o pedido de contestação não é necessário se dirigir a nenhuma agência da Caixa, lotérica ou posto de atendimento do Cadastro Único. É preciso:

  • Acessar o site da Dataprev
  • Fazer o login
  • Clicar no botão “Acompanhe sua solicitação”
  • Depois que você confirmar seus dados, vai aparecer na página o motivo da recusa
  • Haverá uma opção para contestação
  • Faça a solicitação e aguarde

Auxílio emergencial cancelado

O Ministério da Cidadania confirmou que, ao cruzar informações dos beneficiários com dados de outras bases, encontrou inconsistências no pagamento do benefício, no que se referente aos requisitos para recebido do auxílio.

“Em alguns casos, a situação de quem fez o pedido pode ter mudado e a base de dados ficou desatualizada. Por isso, o Governo Federal dá a oportunidade para as pessoas entrarem no site da Dataprev e contestarem o cancelamento. É o caso, por exemplo, de pessoas que estavam recebendo o seguro-desemprego, deixaram de receber esse benefício e passam a ter direito ao auxílio emergencial”, disse Nilza Emy Yamasaki, secretária nacional do Cadastro Único do Ministério da Cidadania.

Entre os principais motivos para cancelamento estão:

  • CPFs irregulares;
  • rendimentos acima do limite estabelecido pelo governo;
  • beneficiários com cargos eletivos, militares ou em serviços públicos.
5 Comentários
  1. Maria do carmo cordeiro Diz

    Bom dia eu tenho o meu salario e estou me apozentano por idade mais eu concordo quem nao tem salario tinha que receber este beneficio nao tem como a pessoa trabalha nesta pandemia tem sim que receber

  2. IRENE Cardoso de Jesus Diz

    Eu gostei muito porque estou desempregada, esta me ajudando muito a comprar meus remédio, e pagar uns conta

  3. Maria Selma dos santos Diz

    Porque que eu tava terando um auxílio e agora eu não tô terando mais só tô recebendo só um bolsa família

  4. Sandra Regina Diz

    Deveria continuar o auxílio emergencial para os trabalhadores informais! Tenho 57 anos desde, meu último emprego formal eu tinha 52 anos.Depois não consegui mais emprego, ninguém dá serviço pra pessoas a partir dos 50 anos , ainda mais com a crise e com a pandemia! Faço meus bolos, depois que chegou a pandemia minhas vendas caíram e não tenho outra renda e nem ajuda de ninguém!! Pago minha previdência, mais falta muito pra me aposentar por idade. Tem pessoas jovens com família que receberam, muitas pessoas que nunca fizeram nada da vida! Poderiam continuar com o auxílio emergencial. Mais pagar pra quem realmente precisa!

  5. Julio Cesar Codato Diz

    Sinceramente, vcs são uma classe q eu tenho nojo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.