Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Relatório aponta que MEC só entregou 33% dos chips com internet previstos para 2020

Relatório feito pela Comissão Externa de acompanhamento do Ministério da Educação (Comex/MEC) aponta que o número de chips entregues pela pasta em 2020 é inferior ao número previsto. De acordo com os dados, apenas 33% dos chips foram entregues. 

A meta estabelecida previa beneficiar 424.025 estudantes de cursos do ensino superior e do ensino técnico. Contudo, os dados mostram que somente 143.855 alunos receberam do MEC o chip que viabiliza o acesso à internet para o auxílio do ensino remoto. Desse modo, a Comex aponta:

“Atualmente, cerca de 788.019 estudantes ainda não tiveram acesso ao chips/bônus, e, provavelmente, não estão tendo acesso às aulas remotas de maneira integral durante a pandemia”.

Além disso, o relatório da Comex revela que o MEC não teve execução orçamentária no Programa de Inovação Educação Conectada nos primeiros 8 meses do ano passado, ou seja, praticamente durante todo o ano de 2020.

“Os esforços do Ministério da Educação para resolver o problema de acesso à conectividade de estudantes e professores foram ínfimos” afirma a Comex.

A falta de acesso à internet é um dos fatores que agravam a desigualdade educacional no Brasil durante a pandemia da covid-19.

MEC não repassou recursos para auxiliar a volta às aulas presenciais

O relatório aponta ainda que até o dia 15 de junho deste ano, a pasta não havia repassado recursos que são para a infraestrutura. Há cerca de R$ 1,2 bilhão disponíveis para que as escolas (ensino básico) se adaptem para uma volta às aulas segura e que não haviam sido usados pela pasta.

O documento foi feito a partir de atividades de acompanhamento do MEC e da análise de 17 requerimentos de informação. Além disso, conta com a análise de dados orçamentários colhidos até o dia 15 de junho.

E aí? Gostou do texto? Então deixe aqui o seu comentário!

Leia também SP: Governo de São Paulo altera regras para a volta às aulas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.