RADAR: Saiba que é possível transitar acima da velocidade sem ser multado! radar

RADAR: Saiba que é possível transitar acima da velocidade sem ser multado!

Em 2023, o excesso de velocidade continua sendo o campeão das multas de trânsito no Brasil. O Código de Trânsito Brasileiro, bastante severo, pode levar à suspensão da habilitação dos motoristas que ultrapassam os limites permitidos nas vias. No entanto, é comum surgir uma questão importante: E se os radares errarem?

Como aparelhos eletrônicos, os radares de trânsito estão sujeitos a defeitos e mau funcionamento. Para corrigir eventuais imprecisões uma margem de erro é adotada nos aparelhos. Assim, quando a infração é registrada, considera-se a chamada “velocidade considerada”, que pode ser diferente da número registrado pelo aparelho.

Como os radares de trânsito medem a velocidade?

Os radares mais comuns fixados nas rodovias brasileiras são o controlador e o redutor de velocidade. O primeiro fiscaliza o limite máximo de velocidade da via ou de um ponto específico, enquanto o segundo funciona como um monitor, exibindo a velocidade do veículo em uma tela.

Na prática, a velocidade medida é aquela registrada pelo radar e que, possivelmente, será a mesma exibida no velocímetro do veículo. Já a velocidade considerada é a velocidade registrada pelo radar (medida) menos a margem de erro do aparelho.

Como são calculadas as multas de radar?

As multas de radar se baseiam na gravidade da infração cometida. De acordo com o artigo 258 do CTB, existem quatro categorias de penalidades: gravíssima, grave, média e leve. Cada uma possui um valor específico, da gravíssima à leve respectivamente, de R$ 293,47, R$ 195,23, R$ 130,16 e R$ 88,38.

Contudo, o valor de R$ 88,38, para infrações leves, não se aplicam para nenhuma infração proveniente de radares, visto que não há infrações leves atribuídas a esses dispositivos. As de natureza média, como excesso de velocidade até 20% acima do limite permitido, têm seu valor estabelecido em R$ 130,16. As de natureza grave, que incluem o excesso de 20% a 50% da velocidade permitida, possuem multas de R$ 195,23.

Quando a infração é gravíssima?

Já as infrações de natureza gravíssima, que configuram um excesso de mais de 50% em relação ao limite de velocidade, possuem uma peculiaridade. Nesse caso, o valor da multa é de R$ 293,47, entretanto, existe um fator multiplicador que triplica o valor, resultando na multa de R$ 880,41. Essa, sem dúvidas, é um grande prejuízo financeiro.

Tabela valores

ArtigoInfraçãoValorPontuaçãoSuspende a CNH
218, IExceder o máximo permitido em até 20%R$ 130,164
218, IIExceder o máximo permitido de 20% a 50%R$ 195,235
218, IIIExceder o máximo permitido em mais de 50%R$ 880,417Sim
219Trafegar a menos de 50% da velocidade máximaR$ 130,164

É possível transitar acima da velocidade sem ser notificado?

Todos radares tem uma margem de erro, que é calculada da seguinte forma: quando a velocidade medida for de até 107 km/h, a margem de erro será de 7 km/h; já quando a velocidade medida for igual ou superior a 108 km/h, a margem de erro será de 7%. Importante destacar que confiar exclusivamente no velocímetro do veículo pode ser arriscado e levar o condutor a ultrapassar a velocidade máxima considerada, resultando em multas. Exemplo: um radar de velocidade máxima de 40km/h, o condutor pode transitar até 47km/h e não será notificado, justamente por transitar dentro da margem de tolerância.

Como é realizado o controle dos radares de trânsito?

O Contran é o órgão responsável por estipular a margem de erro desses aparelhos, os quais devem ser aferidos a cada 12 meses pelo Inmetro. Dessa forma, no caso de receber uma multa, o motorista deve sempre verificar se os dados da notificação contêm os números de registro no Inmetro e a data da última aferição do aparelho. Se estes dados estiverem ausentes, a multa pode ser anulada.

É importante enfatizar que as vias com radares de velocidade precisam possuir placas de identificação R-19, que servem para alertar os condutores sobre a redução gradual do limite de velocidade. Esta sinalização precisa estar presente junto a cada radar fixo e deve respeitar uma distância mínima do aparelho, variando de acordo com a velocidade máxima estipulada para a via.

Finalmente, vale a pena reiterar que, mesmo que a “margem de erro” possa operar a favor dos motoristas, ela não garante isenção de multas ou benefícios na tolerância da legislação. Portanto, a dica é: atenção e respeito aos limites de velocidade! Assim, contribuímos para um trânsito mais seguro para todos.

Confira mais dicas de trânsito, clicando aqui

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.