Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

O PIX está cada vez mais popular e já é usado por mais de 70% dos brasileiros

O PIX, ferramenta de transferências e pagamentos instantâneos, desenvolvida pelo Banco Central (BC), mudou a forma como os brasileiros lidam com transações financeiras. Nesse sentido, segundo dados do BC, o sistema já é usado por 71% da população, que já possui 380 milhões de chaves registradas em contas de instituições financeiras.

Segundo uma pesquisa recente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a taxa de aprovação das transferências instantâneas do PIX, por brasileiros, chegou a 85%. Sendo assim, de acordo com os dados da federação, em apenas um dia, sexta-feira (7), foram registradas 52,4 milhões de transações. Dessa forma, o número bateu o recorde anterior, de 50,3 milhões, que foi registrado em dezembro de 2021.

Além disso, segundo o BC, a maior parte das operações é feita entre pessoas físicas (73%) e outros 17% são referentes a pagamentos de pessoas para empresas. Dessa forma, até dezembro, foram movimentados mais de R$ 623 milhões pelo sistema de pagamentos. E, agora, com as novas funcionalidades, deve ampliar ainda mais o seu uso.

Nesse contexto, desde o final de dezembro começaram a funcionar novas funções PIX Saque e PIX Troco. Com elas, diversos estabelecimentos comerciais, como supermercados, padarias, lojas de departamentos e lotéricas, podem oferecer a opção de retirar ou receber dinheiro vivo após uma compra via PIX na própria loja.

Novos recursos do sistema de pagamentos em 2022

O PIX em 2022 chega com novas funcionalidades, segundo o que planeja o Banco Central.

Dentre estas novidades estão: O PIX Garantido, que permite que os pagamentos sejam parcelados e agendados por meio do sistema. Também o PIX por aproximação, que possibilita fazer pagamentos ao aproximar o celular da máquina de cartão.

Além dessas funcionalidades, estão o PIX débito automático, que permite que contas de consumo, como água, luz e telefone, possam ser pagas no débito automático. Além disso, o PIX offline, recurso que está sendo testado com três tecnologias, porém, ainda está em processo de avaliação. E, por fim, o PIX internacional, que permite que o usuário faça transferências instantâneas de outros países através da ferramenta.

Dessa maneira, com todas as novas funcionalidades do PIX entrando, fica claro o quanto a economia digital já está inserida na vida das pessoas. Ou seja, é colocada maior pressão nos players do mercado financeiro, como as operadoras de cartões e as empresas que oferecem a máquina cobrando percentual sobre as transações.

Inclusão pela ferramenta

Ademais, segundo o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello, o crescimento do PIX proporcionou mais inclusão às classes mais baixas. Isto porque mais de 45,6 milhões de pessoas que estavam fora do sistema financeiro passaram a operar através de pagamentos digitais.

Segundo Pinho de Mello, o PIX tem ganhado mais adesão de beneficiários dos programas sociais como o Bolsa Família e o CadÚnico. Os dados do BC demonstram que entre as camadas de menor renda, o número de usuários do PIX subiu 131% entre março e outubro deste ano, contra crescimento de 52% no total da população.

Portanto, com o advento e adoção do PIX, o Brasil, ressaltou o diretor do Banco Central, passou a ocupar o terceiro lugar entre os países que mais usam pagamentos instantâneos. Sendo assim, o país fica apenas atrás da Suécia, que adotou o sistema há sete anos, e da Dinamarca, que o adotou há cinco anos.

Avalie o Texto.
1 comentário
  1. Kelly Demilly Diz

    Muito bom Tô mara quer seja verdade

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.