Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Paulo Guedes afirma que indicadores confirmam recuperação da economia

Nesta quarta-feira (25), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a divulgação de diversos indicadores recentes confirmam a recuperação da produção e do consumo. Segundo ele, o consumo de energia e combustível, atrelados à arrecadação recorde de julho, divulgada mais cedo, mostram que a economia vem crescendo forte.

“A economia está bombando, apesar de continuar a narrativa de que o governo não está fazendo nada”, declarou o ministro durante o lançamento da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, na Câmara dos Deputados.

De acordo com a avaliação do ministro, a crise hídrica que assola o país neste ano é um obstáculo que pode impactar a oferta de energia. No entanto, a atividade econômica continuará resistindo, segundo Guedes. “Há nuvens no horizonte? Há. Temos crise hídrica forte pela frente, mas a economia brasileira está furando as ondas”, disse.

Segundo o ministro, no ano passado a capacidade de resistência da economia do país foi posta à prova, com a pandemia. Em que o país conseguiu implantar medidas econômicas e enfrentar o problema. Para ele, o mesmo deve se repetir caso a crise hídrica se intensifique. “Qual o problema agora que a energia vai ficar um pouco mais cara porque choveu menos?”, perguntou.

Mais declarações do ministro

O ministro da Economia ainda fez outras declarações sobre reformas estruturais. Ele disse que a frente de 150 parlamentares, coordenada pelo deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), deverá facilitar a aprovação de novas medidas econômicas de interesse da equipe da economia, o que ajudará a recuperar o crescimento do país.

“Os empresários sabem o que está acontecendo e percebem as narrativas negacionistas que negam a força da economia brasileira. Nós deflagramos uma importante sequência de reformas importantes. Nós vamos continuar crescendo com o Congresso operando”, comentou o ministro. Segundo ele, o país tem garantidos investimentos de R$ 500 bilhões nos próximos dez anos.

Além disso, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse que a iniciativa facilitará a articulação entre o setor produtivo e o Poder Legislativo. “Tenho certeza de que esse assunto vai ser tratado com esmero entre o setor produtivo e o setor que legisla. Os empresários não podem ficar distantes de Brasília, e nós devemos estar integrados com a sociedade que produz para cumprir nosso papel”, afirmou.

Bolsonaro também faz declarações sobre economia

Nesta quinta-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a economia está se recuperando, mas “as coisas não vão ser muito rápidas”. “No Brasil todo, a Economia está retomando”, afirmou. “Agora, as coisas não vão ser muito rápidas como muitos querem”, completou.

Em entrevista à “Rádio Jornal” de Pernambuco, ele também criticou a decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Decisão essa que foi de arquivar o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Por fim, além de falar sobre a economia do país, o presidente também comentou sobre o preço dos combustíveis e do gás de cozinha. Ele disse que o encarecimento dos combustíveis e do gás de cozinha não pode ser resolvido somente por ele, mas passa por uma revisão da cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos Estados.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.